Edição nº2595 19/09 Ver edições anteriores

De teimoso, de pirraça

A manobra articulada pelo Planalto por sugestão do PMDB de levar Ciro Gomes para um ministério influente como Transportes não assombra o governador Eduardo Campos

De teimoso, de pirraça

Pic_Conf-PM.jpg

A manobra articulada pelo Planalto por sugestão do PMDB de levar Ciro Gomes para um ministério influente como Transportes não assombra o governador Eduardo Campos. Ele controla o PSB e continua pavimentando sua candidatura a presidente em 2014. O último movimento foi fechar antecipadamente o apoio do PDT. Carlos Lupi está rompido com Dilma e decidiu que a sigla brizolista vai de Eduardo. Outro partido que também abraçou a candidatura do socialista foi o PPS de Roberto Freire. Para assegurar uma coligação com tempo mais do que suficiente de tevê, resta apenas o PTB. E um acordo está próximo.

O temor das ruas

Apesar de ter os votos para suceder José Sarney, Renan Calheiros teme que sua candidatura vire alvo de denúncias requentadas, num momento de bombardeio no governo e no PT. Antes de anunciar oficialmente seu nome, o senador fez um levantamento na Justiça e no MP, e agora fará consultas a empresários, jornalistas e
colegas do Senado.

Sinal amarelo contra o lobby

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) representou contra Ciro Nogueira (PP-PI) no Conselho de Ética do Senado. Valadares o acusa de “atrevimento e falta de compostura” ao trabalhar no Denatran em favor do lobby de empresas de vistoria veicular.

Sem resposta

Desapareceram do inquérito no STF que apura suposta participação de servidores da ANP em ações de favorecimento à Refinaria de Manguinhos as provas de participação parlamentar e de ministro no esquema. Há meses, o relator Celso de Mello pediu esclarecimentos à PF.

Charge

Charge_2249_Sarney_Presidencia.jpg

Apropriação de lucros

Tramita desde 2010 na Câmara de Comércio Brasil-Canadá e na Justiça do Rio processo em que o empresário Durval Biancalana e sócios acusam Fernando Cavendish de se apropriar indevidamente de R$ 16,4 milhões da empresa, classificando a bolada como “distribuição de lucros”.

Vassourada a caminho

Dilma Rousseff determinou à AGU que investigue todas as pessoas antes da nomeação para cargos em comissão e direção. Se já fosse assim, descobririam que Weber Holanda já era alvo de investigação. A CGU, aliás, está fazendo agora um pente-fino retroativo.

Escudeiro de Aécio

O novo líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), encarna o espírito de mudança na condução partidária. Promotor licenciado, com atuação em três CPIs, ele foi escolhido porque no embate direto não tem papas na língua. Sampaio já prepara um roteiro de visitas a governadores e prefeitos tucanos para reunir apoio à candidatura de Aécio Neves.

Axé da crise

O PT fazia a confraternização de fim de ano no dia em que estouraram as novas denúncias do publicitário Marcos Valério. Por razões óbvias, o clima era de melancolia. Ninguém entendeu a dança animada de Marco Maia com Ideli Salvatti.

Brasil tem plano pós-Chávez

O estado crítico de saúde do presidente Hugo Chávez levou o Palácio do Planalto a convocar um gabinete de crise para montagem de um plano de contingência que garanta a transição pacífica na Venezuela. Uma equipe médica está de prontidão para prestar apoio complementar ao de Cuba. O chanceler Antônio Patriota monitora a situação política e mantém contato diário com Nicolás Maduro, vice-presidente nomeado por Chávez; seu adjunto Temir Porras; e o embaixador venezuelano Maximilien Arvelaiz. Abin e as Forças Armadas elevaram o grau de alerta de seus informes e enviaram agentes encobertos para monitorar a situação in loco.

Lição aprendida

A articulação preventiva mostra que o governo aprendeu a lição após o impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo. O caso venezuelano exige cuidados redobrados. A possível morte de Chávez após 14 anos no poder é tratada em diferentes setores da sociedade venezuelana e principalmente entre a militância com ares de messianismo.

Toma lá dá cá

CONF-02-IE-2249.jpg

Nabor Bulhões, advogado de Cachoeira

ISTOÉ – Carlinhos disse ser o “garganta profunda do PT”. O que o sr. acha?
Bulhões –
É uma manifestação de cunho político sobre a qual não tenho controle ou conhecimento do que ele sabe ou não. Só me ocupo da questão jurídica.

ISTOÉ – Seu cliente foi internado. Ele já se recuperou?
Bulhões –
Carlinhos está muito abalado psicologicamente, não está bem. Passou mal novamente. Isso é efeito do tempo em que ficou recluso.

ISTOÉ – No último mês, ele foi libertado, depois preso e ganhou novamente a liberdade. Isso é comum?
Bulhões –
É uma sucessão de ilegalidades e abusos, que tenho procurado superar com recursos jurídicos. O processo penal não é sinônimo de condenação e prisão. Tem gente condenada a 40 anos em liberdade.

Rápidas

* Com as relações entre Congresso Nacional e Judiciário estremecidas, os ministros do STF se preparam para rejeitar todas as ações que foram, ou venham a ser, apresentadas por parlamentares sobre a distribuição dos royalties do petróleo.

* Petistas pressionaram o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), a colocar em votação a reforma política antes do recesso. Ao consultar líderes de outras legendas da Casa, ele ouviu queixas de que o texto só beneficia o PT e que não há chances de votação este ano.

* O vice-presidente Michel Temer (PMDB) está pressionado por parlamentares a enfrentar a presidenta Dilma Rousseff e interferir nas questões sobre demarcação de terras indígenas. Querem a revogação da Portaria 303 da AGU que suspendeu os processos de demarcação.

* O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao marqueteiro João Santana que lançasse sua candidatura para o governo de São Paulo em 2014. A ideia é acalmar os ânimos dos ministros Alexandre Padilha, Aloizio Mercadante e Eduardo Cardozo

Retrato falado

CONF-03-IE.jpg

Consultor em planejamento energético e ambiental, o economista Marcio Edgar Schuler vê com pessimismo o resultado da Convenção de Mudanças do Clima da ONU, realizada este mês no Qatar. Segundo ele, o encontro avançou pouco sobre a regulamentação do acesso aos recursos genéticos naturais e de medidas para coibir a biopirataria. De positivo apenas a inclusão do valor da biodiversidade nas contas públicas e a redução dos subsídios a atividades prejudiciais.

Conselheiro na mira

CONF-05-IE-2249.jpg

Punido pela OAB com suspensão do exercício profissional ao se apropriar indevidamente de R$ 3 milhões de um ex-cliente, o advogado Paulo Tadeu Haendchen, conselheiro jurídico do governador André Puccinelli, está na mira do Ministério Público. Promotores estão de olho em contratos dele com a estatal de energia Enersul. O advogado também aluga imóveis à Prefeitura de Campo Grande, à AGU e até para juízes.

A Anatel do turismo

Em recente encontro em Dubai sobre internet, o conselheiro da Anatel Marcelo Bechara deixou os debates para fazer turismo no Líbano. Meses atrás, outro passeio ao lado da cunhada do ex-senador Demóstenes Torres, em Ibiza, deixou o ministro Paulo Bernardo de cabelo em pé.

Fotos: Adriano Machado/ AG. ISTOÉ; ANDRE DUSEK/AGÊNCIA ESTADO/AE; Roberto Castro /Agencia Istoé
Colaboraram: Izabelle Torres e Josie Jeronimo


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.