Editorial

Festa e tradição

Festa e tradição

Nesta edição de ISTOÉ festejamos uma data e consolidamos uma tradição. Em 1972, Domingo Alzugaray deixava a Editora Abril e se associava ao jornalista Luís Carta e ao empresário Fabrizio Fasano para fundar a Editora Três, da qual é hoje o editor e diretor responsável. Alugaram uma pequena sala na rua Brigadeiro Luís Antônio, em São Paulo, e logo lançaram Menu, uma coleção de fascículos de culinária. Três décadas de muito trabalho, ousadia e criatividade transformaram a pequena sala da Brigadeiro em uma das mais importantes e influentes editoras da América Latina, com um parque gráfico que imprime 40 milhões de exemplares de revistas por ano. São quatro revistas semanais – com planos para o lançamento de mais duas em 2003 –, mais quatro revistas mensais, publicações especiais e coleções de livros. Portanto, hoje pedimos permissão aos nossos leitores para com eles dividir a alegria de estar comemorando 30 anos de vida, de muita luta, muita batalha e muitas vitórias. E principalmente uma inabalável fé no Brasil e em seu povo.

Costumamos dizer e escrever por aqui que ISTOÉ é uma revista que acredita no Brasil. E este foi um dos motivos que nos levaram, no decorrer de 1999, a homenagear os brasileiros que mais se destacaram no século que se encerrava. Foram escolhidos nomes como Rui Barbosa, Ayrton Senna, Machado de Assis, Fernanda Montenegro, Chico Buarque, Oswaldo Cruz, Oscar Niemeyer. E como o Brasileiro do Século foi eleito o presidente Juscelino Kubitschek, símbolo de uma era de democracia e prosperidade. Aquele evento foi a semente de algo maior, mais abrangente, que neste ano consolidamos como tradição. Pela terceira vez consecutiva escolhemos nossos compatriotas que mais se destacaram e entre eles o Brasileiro do Ano. Também ISTOÉ Dinheiro e ISTOÉ Gente, pela terceira vez, elegeram o Empreendedor do Ano e a Personalidade do Ano.

Por sua exemplar história de vida, Luiz Inácio Lula da Silva é o nosso Brasileiro do Ano. De metalúrgico e dirigente sindical em São Bernardo do Campo, ele carrega para a sua posse em Brasília, como presidente da República, a alegria, a esperança e a torcida de 170 milhões de brasileiros.

Neste ano homenageamos também, como Brasileiro da Década, o presidente Fernando Henrique Cardoso, que, de maneira exemplar, governou o País democraticamente por dois mandatos – oito anos consecutivos. E, para reforçar ainda mais a admirável transição de governo por eles conduzida, Lula e Fernando Henrique dividem a capa desta edição de ISTOÉ.