Tecnologia & Meio ambiente

Século 21

Século 21

Areia santa

Arqueólogos suíços escavavam as areias do Cairo, no Egito, quando toparam com os escombros da 110ª pirâmide achada até hoje (foto). Erguida há 4.500 anos, com três câmaras enterradas cinco metros abaixo do solo, ela abriga pedaços de um sarcófago, cacos de cerâmica e um alabastro para guardar os órgãos extirpados na mumificação. Da múmia não sobrou fagulha para contar a história. Imagina-se que a pirâmide seja da filha, da irmã ou da mulher de Redjedef, filho de Quéops, cuja tumba se tornou a maior atração turística egípcia.

Pintou clima

Quem tiver alma de samaritano pode ajudar a prever como será o clima na Terra no próximo século. Em vez da foto do time de futebol ou da beldade do momento, o internauta baixa da rede
um protetor de tela que transforma o
computador numa imensa calculadora. O site www.climateprediction.com entra no ar em agosto e segue o modelo do projeto Seti, que empresta os períodos de descanso de milhares de PCs no mundo para calcular a possibilidade de existência de
vida fora da Terra.

Maracujina

Ninguém duvide do médico que receitar partidas de videogame duas vezes ao dia, em intervalos de oito horas. Como estudos recentes indicam que jogar acalma os hiperativos, começam a pipocar novidades. Uma delas é o jogo de corrida entre dois dragões Relax to win (Relaxe para ganhar), da britânica Brainchild. Em vez de joystick, o jogador prende dois eletrodos parecidos com o detector de mentiras para medir a condução elétrica nos dedos. Quanto mais relaxado o jogador, mais rápido corre o dragão. O próximo jogo virá com capacete forrado de sensores para captar as ondas cerebrais que indicam concentração e relaxamento.

 

 Cobaias me mordam

Um consórcio internacional oferece, de graça, a coleção dos genes do camundongo (foto), a mais esperada depois do genoma humano. Principal cobaia de laboratório, o animal tem 30 mil genes, valor próximo ao do ser humano. Ao estudar o DNA do roedor, os cientistas pretendem identificar as relações entre certos genes e algumas doenças humanas, do câncer à Aids. Em maio de 2001, a empresa americana Celera colocou à venda sua versão com o DNA da cobaia.

 

 Cão que mia

A partir de junho, a japonesa Sony inclui na embalagem de seu robô-cão Aibo um kit gratuito para treinar o bichano (foto). Bastam alguns comandos para ele latir ou miar. Os mais espertos em computação podem programar o robô para executar tarefas sérias como buscar o jornal na chuva. É um contra-ataque da Sony aos piratas, que já vendiam programas para alterar o cérebro do Aibo, o brinquedo inteligente de US$ 1.500 que executa 250 movimentos, bate fotos e reconhece algumas palavras ditas pelo dono.

 

Nova arma

Um time de cientistas ingleses decifrou os 8.700 genes da Streptomyces coelicolor, a bactéria usada para produzir dois terços dos antibióticos vendidos no mundo. A partir desses dados, a indústria farmacêutica pretende desenvolver novas drogas capazes de tratar males como o câncer, evitar a rejeição em casos de transplantes de órgãos e driblar a resistência das superbactérias, que tornam os antibióticos ineficazes.