Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

O day after do PAC
Acendeu o sinal amarelo no Programa de Aceleração do Crescimento. Teme-se o impacto dos bilionários investimentos no aparelho urbano de cidades como Itaboraí (RJ), Porto Velho e Recife. Para o ministro das Cidades, Márcio Fortes, é preciso evitar o que ocorreu com o projeto Jari, no Amapá, nos anos 70. Atraídas pelo empreendimento, milhares de pessoas se instalaram em palafitas na outra margem do rio Jari, para prestar serviços de toda natureza. A população do chamado “Beiradão” (hoje, município do Laranjal) rapidamente suplantou a de empregados do projeto privado. “Temos de nos preparar para o day after”, adverte Fortes.

Último desejo
Em Salvador, nestes dias de litígio entre os Matta Pires e os Magalhães, contase a seguinte história: pouco antes de morrer, Antônio Carlos Magalhães reuniu a família e pediu que cortasse os laços comerciais com a empreiteira OAS. O matreiro senador sabia o que estava para acontecer.

Boca do forno
Lula aproveitará a saída dos ministros que vão concorrer às eleições de outubro para fazer uma minirreforma ministerial. Além do espaço aberto por Marta Suplicy, no Turismo, e Luiz Marinho, na Previdência, o Planalto se encarregará de abrir novas vagas.

Clientes seletos
A promotora de eventos Jeany Mary Corner prestará um depoimento ao Ministério Público e à Polícia Federal na quinta-feira 27. Vai entregar a devassa de suas ligações telefônicas. Revelará quem, quando e quantas vezes requisitou seus serviços. Em Brasília, há muita gente de cabelos em pé.

Susto e festa
No sábado 15, o governador Jaques Wagner passou por apuros. O helicóptero da FAB em que seguia para o município de Cícero Dantas teve pane no motor e pousou numa fazenda a 200 km de Salvador. No domingo, refeito do susto, Wagner festejou seu 57º aniversário numa praia de Maceió.

Assombração
Na semana passada, o Ministério da Justiça recebeu denúncia de um funcionário público de Roraima. O relatório revela as práticas nada ortodoxas de um empresário que, ao tempo do governo Ottomar Pinto, usava laranjas para prestar serviços. O autor da denúncia pediu proteção.

TOMA-LÁ-DÁ-CÁ COM GARIBALDI ALVES, presidente do Senado

Atrás do Front
Sem fazer o mesmo alarde de seus colegas da Marinha e da Aeronáutica, o comandante do Exército, Enzo Peri, está conseguindo avançar no projeto de renovação tecnológica da Força. O Exército encomendou a produção de blindados à Iveco, montadora de caminhões do grupo Fiat, em Betim. Em outra ponta, fechou parceria com a empresa brasileira Orbisat para fabricar radares de vigilância, com tecnologia 100% nacional. Os radares já foram testados nos Jogos Pan-Americanos.

ISTOÉ – O sr. está desapontado com o Senado?
Garibaldi
– Estou desapontado com o clima de radicalização. Alerto aos governistas e à oposição: esse clima prejudica a nossa imagem.

 

 

 

ISTOÉ – Por quê?
Garibaldi
– Porque impede a construção de um mínimo de consenso. Como convencer o governo a limitar o uso de MPs se partimos para uma tática de obstrução?

 

ISTOÉ – O sr. foi ameaçado pelo presidente Lula?
Garibaldi
– Não são ameaças veladas, são públicas: “Se não aprovar, vem uma enxurrada de MP.” Isso inviabiliza o Congresso.

 

Cunha no páreo
O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer, que se cuide. Integrantes da base governista na Câmara também estão de olho na cadeira de presidente da Casa em 2009. Um deles é o deputado Ciro Nogueira (PP-PI), que já declarou abertamente o desejo de concorrer. Mas o perigo não mora ao lado, está no próprio partido de Temer. O deputado Eduardo Cunha, que controla hoje quase um terço da bancada do partido, corre por fora.

O passado condena
Candidato do PV à Prefeitura do Rio, Fernando Gabeira tenta, agora, atrair o PDT para a frente política que o apóia. Trata-se de tarefa difícil, quase impossível. Além de ser crítico contumaz dos Cieps, Gabeira concorreu em 1986 ao governo do Estado do Rio pelo PT, só para marcar posição. Ganhou 7,8% dos votos, mas prejudicou a candidatura de Darcy Ribeiro, que, apesar do empenho de Brizola, perdeu o leito para Moreira Franco, do PFL.

Vista grossa
Apesar da suspensão da demarcação de terrenos de supostos remanescentes quilombolas pela AGU, servidores do Incra estão visitando Cachoeiro do Itapemirim (ES) com o objetivo de delimitar novas áreas, deixando os proprietários de terras da região apreensivos.

Sem função
redução do número de servidores que despacham diariamente no Palácio do Planalto será uma das conseqüências da reforma que Lula encomendou a Oscar Niemeyer. Cerca de 40% dos 3,3 mil funcionários não voltarão quando a obra ficar pronta. “Muita gente vai ter que sair”, avisou Lula.

Amigo da onça
epois de receber elogio público do ministro Patrus Ananias, o presidente da Comissão Nacional de Assistência Social, Silvio Iung, foi acusado de integrar a quadrilha que fraudava concessão de títulos de entidade filantrópica. Patrus sentiu o golpe.

RÁPIDAS

As agências de classificação de risco são engraçadas. Falharam ao não prever a debacle dos bancos americanos. Mas se apressam em analisar o impacto da crise sobre empresas da América Latina, Brasil inclusive.

A volta de Duda Mendonça às campanhas eleitorais terá uma première. Ele acertou com a prefeita Luizianne Lins levar o cantor Roberto Carlos para o show em comemoração ao aniversário de Fortaleza no dia 13 de abril.

Antes de encontrar-se com Hugo Chávez no Recife na quarta-feira 26, o presidente Lula passa na véspera por Maceió. Bate o ponto em Alagoas para inaugurar obras do PAC, a prioridade da hora.

Decreto publicado no Diário Oficial, na terçafeira 18, restringiu o uso de carros oficiais. O acesso a aeroportos não poderá ser feito, mesmo em viagens a trabalho.

RETRATO FALADO

 

O procurador de Justiça aposentado Albino Angelo Santarossa, 78 anos, que no passado foi advogado do craque Garrincha e amigo de Juscelino Kubitschek, denunciou diversas irregularidades na cidade de Gramado (RS). Tornou-se um inimigo público. Responde a uma infinidade de queixas-crime, impetradas por membros dos três poderes da cidade.