Tecnologia & Meio ambiente

Sons tatuados na pele, uma nova onda nos EUA

Hanna Washlake aproxima o celular de uma tatuagem no antebraço, e ele começa a tocar uma gravação com a voz de sua mãe: “Estou orgulhosa de você, te amo muito”.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Essa é uma “Soundwave Tattoo”, um tipo de tatuagem criada e lançada no ano passado por Nate Siggard em Los Angeles.

Trata-se de uma onda sonora pintada permanentemente na pele que pode ser lida e reproduzida por um aplicativo de celular. Sua empresa se chama Skin Motion.

As tatuagens quase sempre têm um significado especial registrado num pedaço de pele. Alguns eternizam um amor, um filho, os pais, ou um grupo musical, por meio de uma palavra, um símbolo, uma foto… E agora, um som.

Hanna, de 24 anos, dedicou sua 35ª tatuagem a sua mãe.

“Eu disse basicamente, sem dar muitos detalhes, ‘me manda uma gravação de algo que você quer que eu escute sempre’, para poder fazer e lhe dar de presente de dia das mães”, no próximo 13 de maio.

Tiffany García foi responsável por tatuar a onda sonora, que Hanna começou a reproduzir sem parar.

“Oi, Hanna, sou eu, sua mãe. Estou muito orgulhosa de você, te amo muito e sempre te amarei. Mamãe te ama”, diz a mensagem completa.

“É encantador ter sua voz comigo. Ela não será eterna, mas poderei escutar sua voz sempre que quiser”, explicou à AFP.

– A inspiração –

Um comentário da namorada de Siggard, Juliana Damiano, foi a origem desta ideia.

Siggard, que já trabalhava há dez anos como tatuador, estava tatuando a onda sonora da música “Tiny Dancer”, de Elton John, quando Damiano lhe disse: “Não seria maravilhoso se pudéssemos escutar essa tatuagem?”.

Ele viu o potencial e tatuou em si mesmo o primeiro protótipo. Em seguida, subiu na internet.

Os sons, que podem ter no máximo 30 segundos, são variados. O de Siggard inclui um “Te amo” da namorada, seguido dos sons do seu bebê balbuciando.

Outra mulher tatuou o som do latido de seu cachorro.

“A maioria das pessoas faz algo baseado em motivos extremamente sentimentais, às vezes têm um áudio de uma criança, ou uma pessoa querida, ou, vai saber, o som de seu carro preferido, e querem ter ele sempre consigo, é importante para elas”, explicou García, membro de uma rede de mais de 300 tatuadores de Skin Motion, em Torrance, 35km ao sul de Los Angeles.

Funciona assim: o usuário sobe um som no site da empresa; a página gera a onda a ser levada ao tatuador especializado, que passará a imagem para a pele.

– No aplicativo –

O aplicativo lê apenas ondas, não funciona com outras formas, ou imagens, e elas têm que ser tatuadas em uma superfície plana, como o antebraço.

Quando a tatuagem for ativada, deve-se pagar pelo serviço de reprodução. São 40 dólares no primeiro ano e, depois, 10 dólares anuais.

Pode-se ter mais de uma, mas cada tatuagem precisa de uma ativação diferente e, portanto, de pagamentos separados.

svu-jt-ved/ll

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

Tópicos

arte EEUU tecnologia