Brasil

Presente de hermano

Técnico argentino teria misturado droga e água para derrubar os brasileiros na Copa de 90

Julio Muñoz/EFE

Triunfo: Mesmo com equipamento inferior, Jean Azevedo voou no deserto

Brasil e Argentina são os dois maiores rivais da história do futebol mundial. Até em amistoso, derrota é motivo de trauma – aliás, amistoso entre os dois países não passa de força de expressão. Na semana passada, descobriu-se que, em pelo menos uma dessas batalhas, a de 24 de junho de 1990, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo da Itália, a disposição de vencer a qualquer custo teria levado los hermanos ao limite da insanidade. Em entrevista à revista argentina Veintitrés, o médico Carlos Salvador Bilardo, rebatizado pelos compatriotas de El Narigón (O Narigudo), admitiu a possibilidade de sua equipe ter levado a campo água batizada com drogas e tranquilizantes para “acalmar” os brasileiros. “Não sei, não sei… mas não digo que não tenha ocorrido”, escorregou ele, enquanto, segundo a revista, “contraía a boca para não sorrir”, assumindo o ar maroto de quem sabe, deseja que as pessoas saibam que ele sabe, mas não se dispõe a revelar o autor do milagre. Pois na Argentina corre a versão de que o idealizador do milagre é justamente ele, El Narigón. Em dezembro, Maradona afirmou no programa de tevê Mar de fondo que, além de água, o “garrafão do Branco”, como chamam a mistureba por lá, trazia, entre outras coisas, o poderoso indutor do sono Royphinol.

Na metade do primeiro tempo, o lateral brasileiro Branco, hoje coordenador das divisões de base da CBF, bebeu água numa garrafa cedida pelo massagista argentino Miguel de Lorenzi, o Galíndez, que atendia em campo o craque Diego Maradona. A partir daí, passou a sentir tonteiras, as pernas bambas, a visão turva. O Brasil perdeu por 1 a 0, gol de Caniggia aos 35 minutos do segundo tempo. “Isso poderia ter feito estragos na carreira de muita gente”, comenta Branco. Os argentinos ainda derrotaram Iugoslávia e Itália nos pênaltis, mas perderam por 1 a 0 para a Alemanha na final. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, não deseja pedir a anulação da partida (“eles foram melhores em campo”, diz), mas pediu ao secretário-geral da entidade, Marco Antônio Teixeira, um dossiê para enviar à Fifa. “Se tudo for confirmado, exigiremos medidas enérgicas”, afirma Marco Antônio. Energia total contra o Boa noite, Cinderela.

 

 

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Veja as motos maxtrail mais vendidas em 2020

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago