Em Cartaz

A fase paulista de Marina Lima

Marina Lima está com CD novo ("Clímax") depois de cinco anos afastada das gravações e isso já é uma boa notícia

A fase paulista de Marina Lima

Ouça a música "Call Me" :

 
 

CARTAZ-ABRE-IE-2170.jpg

Marina Lima está com CD novo (“Clímax”) depois de cinco anos afastada das gravações e isso já é uma boa notícia. A outra é que a sua mudança do Rio de Janeiro para São Paulo fez bem à sua carreira. Ela ampliou sua turma musical (há parceria com Edgar Scandurra, Karina Buhr, Alex Fonseca, Samuel Rosa e Adriana Calcanhotto) e se abriu para novas sonoridades. “Essa cidade faz meu som vibrar”, canta em “#SP Feelings”, balada melancólica, atravessada por programações eletrônicas. Outra faixa que responde a esse chamado é o rock “Lex”, à altura de suas melhores canções. Após ter gravado ótimas versões de Stevie Wonder e Laurie Anderson, dessa vez sua provocação se dá com “Call Me”, sucesso antigo de Chris Montez, que ela canta em inglês e com arranjo entre o easy listening e o trip hop mais suave.

CD_marina.jpg

+5 discos de Marina Lima

CARTAZ-01-IE.jpg

VIRGEM
Seu grande sucesso é “Preciso Dizer Que Te Amo”, parceria entre Cazuza, Bebel Gilberto e Dé

FULLGÁS
Traz duas versões: “Pé na Tábua” (para “Ordinary Pain”, de Stevie Wonder) e “Veneno” (para “Veleno”, de Alfredo Polacci)

MARINA LIMA
Em 1991, ela incluiu beats eletrônicos em sua música. A faixa “Grávida” foi escrita com o então titã Arnaldo Antunes

PIERROT DO BRASIL
Feito em parceria com o músico sérvio Suba, conhecido por experimentos com drum’n’bass e a música brasileira

OLHOS FELIZES
Segundo disco de sua carreira, traz um dueto com Caetano Veloso no grande sucesso “Nosso Estranho Amor”