Mundo

Sudã tem: pelo menos 33 mortos desde sexta-feira

País realiza referendo que decidirá sobre divisão em dois

Sudã tem: pelo menos 33 mortos desde sexta-feira

000_Nic526472.jpg

 

Pelo menos 33 pessoas morreram desde sexta-feira (7) no enclave de Abyei, entre as regiões norte e sul do Sudão, informaram nesta segunda-feira à AFP chefes de tribos locais. "Treze árabes Misseriya foram mortos e 38 ficaram feridos desde sexta-feira", indicou o líder tribal Misseriya Hamid al-Ansari.

"Nos últimos três dias, perdemos no total entre 20 e 22 Dinka", disse Deng Arop Kuol, administrador da região de Abyei. "Eles já nos atacaram três vezes, e estamos esperando um novo ataque nesta segunda-feira".

Referendo

000_Nic526758.jpg

 

Milhares de sudaneses do sul esperavam em longas filas na manhã desta segunda para votar no referendo que determinará a independência de sua região, cujos trabalhos foram abertos no domingo e vão até o próximo sábado (15).

Na universidade de Juba, capital do Sudão do Sul, milhares de eleitores aguardavam pacientemente do lado de fora das mesas de votação. Muitos passaram a noite na fila. Desde domingo e durante uma semana, os sudaneses do sul se pronunciarão a favor da manutenção da unidade com o resto do país, o maior da África, ou da secessão.

As mesas de votação serão abertas todos os dias do referendo às 08h (03h de Brasília) e fecharão às 17h (14h). No domingo, porém, a grande afluência de eleitores obrigou muitas sessões a permanecerem funcionando até mais tarde. Quatro milhões de sudaneses foram convocados para votar no histórico referendo, e pelo menos 60% deste total deve comparecer às urnas para que o resultado final seja validado.