Esportes

Vice primeiro-ministro da Rússia confirma que Isinbayeva deixará órgão antidoping

O vice primeiro-ministro da Rússia, Vitaly Mutko, confirmou nesta sexta-feira que Yelena Isinbayeva deixará o comando do principal órgão antidoping da Rússia. Também responsável pelo esporte no país, Mutko alegou que há um conflito de interesses.

O posicionamento do vice primeiro-ministro ocorre apenas um dia depois da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) anunciar que Yelena Isinbayeva deixaria, até o fim do mês, o comando do órgão russo.

Segundo afirmou Mutko para a agência russa R-Sport, Isinbayeva vai “obviamente deixar o posto de presidente do conselho do órgão”. O dirigente, contudo, não esclareceu quem substituirá a ex-atleta.

Apontada como diretora da Agência Russa Antidoping (Rusada, na sigla em inglês) em dezembro do ano passado e reeleita em março, Isinbayeva já criticou sucessivamente a Wada e a acusou de perseguição ao esporte russo.

Duas vezes campeã olímpica no salto com vara, Isinbayeva não pôde competir nos Jogos do Rio, no ano passado, devido à exclusão do atletismo russo do evento, após a Wada descobrir um escândalo sistemático de doping no país.

Na ocasião, a saltadora chamou a decisão de “violação dos direitos humanos”. Isinbayeva, aliás, classificou a investigação do doping no esporte russo como “complô”. E cobrou, ainda, que os supostos denunciantes do esquema fossem banidos do esporte.

Ao ser reeleita, ela prometeu “defender nossos atletas” em casos similares, ao mesmo tempo em que prometeu seguir o programa de reformas liderado pela Wada. Ainda assim, tanto a agência quanto Mutko apontaram um conflito de interesses, que resultará na saída de Isinbayeva do cargo.