Edição nº2488 18.08 Ver edições anteriores

Valentia de Lula é mentira

FAKE Lula diz não temer delação de Palocci, mas é mentira (Crédito:Beto Barata)

Valentia…
Em abril deste ano, dias depois de o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci dizer em depoimento ao juiz Sérgio Moro que teria “nomes, endereços e operações realizadas” capazes de “dar mais um ano de trabalho” para a Lava Jato, o ex-presidente Lula começou a dar entrevistas na imprensa. Dizia frases como “Se ele vai fazer delação ou não, é uma decisão dele, não me preocupa” e “Quem deve estar preocupado (sic) são as pessoas que fazem parte da Lava Jato. Porque se mentiram por três anos, e agora estão com dificuldade de provar que é mentira, é problema deles”. E esta: “Tenho certeza absoluta que o Palocci não vai fazer delação. Se fizer delação e contar tudo que ele sabe, pode prejudicar muita gente, menos eu”. Mas tamanha valentia é só da boca para fora.

…de Lula…
Em 24 de abril, mesmo dia de uma dessas declarações, advogados de Lula entraram com queixa no Digi Denúncia, do Ministério Público Federal. Usam trechos de reportagens para colocar sob suspeita eventual delação de Palocci que venha a citá-lo. Argumentam que os investigadores estariam pressionando o futuro delator a entregar o ex-presidente.

…é mentira
A ideia é colocar sob suspeita qualquer eventual declaração em acordo de colaboração premiada de Palocci com a força-tarefa da Lava Jato. Se o italiano está ou não sendo pressionado a entregá-lo, não se sabe. Mas não é verdade que Lula não teme que o colega dê com a língua nos dentes. Ou não precisaria mobilizar seus advogados.

Rápidas

* Apesar de o Inep ainda não ter contratado uma nova empresa para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Fundação Getúlio Vargas (FGV) já está selecionando professores para corrigir a prova de redação. Professores devem se inscrever no site com seus dados.

* O site abre o espaço para pessoas de outras profissões. No campo “escolaridade”, há até espaço para analfabetos. A FGV informa que não há garantia que todos os inscritos serão contratados.

* O Inep faz suspense sobre as entidades selecionadas. “Ainda não foi divulgado porque o contrato não está assinado”, afirmou Alexandre Reta Mal, do Inep. Ele garante que, mesmo sem oficializar a contratação, as empresas já estão trabalhando na organização do evento.

Sindicatos na mira do MT

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, determinou no dia 2 a instauração de uma comissão de investigação preliminar para apurar a venda ilegal de registros sindicais na Secretaria de Relações do Trabalho. As denúncias foram divulgadas por ISTOÉ. O Ministério Público Federal apura envolvimento do secretário Carlos Cavalcante de Lacerda no esquema. Segundo o presidente da Aner Sindical, Tiago Botelho, ele não conseguiu a carta sindical porque não topou fazer o “jogo” de Cavalcante.

Retrato falado

“Eles saem mais dias dos presídios do que o trabalhador em período de férias” (Crédito:Divulgação)

Deputado Delegado Francischini é autor de um projeto de lei que restringe a saída temporária dos presos a uma vez por ano, por período não superior a cinco dias. O PL 7767 altera trecho da Lei de Execução Penal, de 1984, para impedir também a saída temporária daqueles que estão no cumprimento de penas de crimes hediondos, crimes executados com violência e grave ameaça, além de crimes de estupro.

Esclarecido

Em relação à nota veiculada nesta coluna, na edição anterior, o desembargador Gesivaldo Nascimento Britto, do Tribunal de Justiça da Bahia, comprovou que o procedimento contra si instaurado pelo CNJ foi arquivado, com base em parecer favorável da Receita Federal, que verificou sua movimentação patrimonial e bancária. Salientou que a atividade pública impõe um dever de sujeição a tais verificações, assim como suas decisões estão submetidas a revisões e recursos – e que o questionamento em torno delas, a este tempo, além de impertinentes, objetiva tumultuar, antecipando o processo natural de sucessão da Corte.

Toma lá dá cá

Lee Jeong-Gwan, embaixador da Coreia do Sul no Brasil

Quanto tempo levará para o Brasil chegar ao nível de desenvolvimento na educação e na infraestrutura, como na Coreia do Sul?
Talvez não seja fácil dizer a questão do tempo. Mas o Brasil está no caminho certo. É uma crise que o País precisa passar para galgar patamar acima. Comparado ao Brasil, a Coreia tem um território muito pequeno. O povo coreano é muito homogêneo, o que favorece bastante. As relações que o país mantinha com os Estados Unidos, China e Japão foram relevantes para que a Coreia pudesse crescer.

Qual recomendação o senhor tem feito aos investidores sul-coreanos que querem investir no Brasil?
Que eles venham, sim, investir de uma forma contínua. Apesar da crise política, a economia do Brasil criou uma defesa contra a crise política.

Quanto tempo o senhor acha que vai levar para haver unificação pacífica com a Coreia do Norte?
É muito difícil precisar um tempo para isso. Na verdade, a unificação da Coreia do Norte com a Coreia do Sul é um assunto bastante sério. Tenho a expectativa de presenciar essa reunificação antes departir desse mundo.

Esclarecido

Em relação à nota veiculada nesta coluna, na edição anterior, o desembargador Gesivaldo Nascimento Britto, do Tribunal de Justiça da Bahia, comprovou que o procedimento contra si instaurado pelo CNJ foi arquivado, com base em parecer favorável da Receita Federal, que verificou sua movimentação patrimonial e bancária. Salientou que a atividade pública impõe um dever
de sujeição a tais verificações, assim como suas decisões estão submetidas a revisões e recursos – e que o questionamento
em torno delas, a este tempo, além de impertinentes, objetiva tumultuar, antecipando o processo natural de sucessão da Corte.

Ordem é integrar

Enquanto espera encontrar um prédio no Rio para acomodar no mesmo local a Diretoria, que está no Leblon, e o Corpo Técnico, situado na Barra da Tijuca, o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, iniciou o fim da era das divisões na empresa. Mandou derrubar divisórias que separavam os departamentos na sede da empresa no estado fluminense.

Baixas na PF

Divulgação

Só nos últimos seis meses, triplicou o número de aposentadorias na Polícia Federal. Os dados são da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). Enquanto nos anos anteriores a média era de 100 pedidos em 12 meses, até junho deste ano a quantidade de delegados, agentes, escrivães, peritos e papiloscopistas aposentados chegou a 307.

Vidão

Divulgação

Antonio Oliveira dos Santos, da Confederação Nacional do Comércio, usou dinheiro de imposto sindical para fretar jatinho num voo entre RJ e João Pessoa. Viajou com Lenoura Schmidt, sua chefe de gabinete, que tem salário de R$ 60 mil. A CNC financiou a ida de seu presidente ao Encontro Nacional de Sindicatos.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.