Mundo

UE amplia lista de sancionados por uso de armas químicas na Síria

UE amplia lista de sancionados por uso de armas químicas na Síria

(Abril) Vítima de um ataque com gás a Khan Cheikhoun, noroeste da Síria - AFP/Arquivos

A União Europeia acrescentou nesta segunda-feira dezesseis nomes à lista de pessoas visadas por sanções impostas ao regime sírio devido a seu papel no desenvolvimento e uso de armas químicas contra civis.

Tratam-se de oito oficiais militares e oito cientistas “envolvidos na proliferação de armas químicas e sua utilização”, indicou o Conselho da UE, que representa os 28 Estados-membros, em um comunicado.

Com esta decisão, são 255 pessoas proibidas de entrar em território da UE e que tiveram seus bens congelados “por serem responsáveis pela repressão violenta contra a população civil na Síria, tirando partido do regime ou fornecendo seu apoio e/ou por estarem associados a essas pessoas”, aponta o comunicado.

Além disso, 67 “entidades” sírias tiveram seus bens congelados.

Em 30 de junho, especialistas da Organização Internacional para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) da ONU confirmaram em um relatório que gás sarin havia sido usado no bombardeio na cidade síria de Khan Shaykhun em 4 de abril.

Os países ocidentais culparam o regime do presidente Bashar Al-Assad pelo ataque, que deixou 87 mortos.

As sanções contra a Síria foram prorrogadas em 29 de maio e estarão em vigor até 1 de junho de 2018.