Mundo

Trump ameaça impor sanções econômicas à Venezuela

WASHINGTON, 17 JUL (ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou nesta segunda-feira (17) impor sanções econômicas à Venezuela se o governo de Nicolás Maduro não desistir de eleger uma Assembleia Constituinte no próximo dia 30 de julho.   

A ameaça está em um comunicado divulgado pela Casa Branca um dia depois de 98% dos participantes de um plebiscito informal da oposição terem rejeitado a proposta do presidente venezuelano de reescrever a Constituição do país.   

“Ontem [16], o povo venezuelano deixou claro mais uma vez que está ao lado da democracia, da liberdade e do Estado de Direito.   

E mesmo assim suas fortes e corajosas ações continuam sendo ignoradas por um péssimo líder que sonha em se tornar um ditador”, diz a nota de Trump.   

Em seguida, ele afirma que os EUA “não ficarão imóveis enquanto a Venezuela cai”. “Se o regime de Maduro impor sua Assembleia Constituinte em 30 de julho, os EUA adotarão pesadas sanções econômicas”, acrescenta.   

Ao longo desta segunda, Maduro recebeu pressões de todos os lados para cancelar a Constituinte, inclusive do Brasil e da União Europeia. Por conta disso, o presidente foi à televisão e chamou de “insolente” a alta representante da UE para Política Externa, a italiana Federica Mogherini, que cobrara a revogação da eleição.   

“Na Venezuela, mandam os venezuelanos. Você errou de país, Federica Mogherini, a Venezuela não é uma colônia europeia”, declarou. A Constituinte foi convocada em meio à crise política que atinge o país, que já deixou quase 100 mortos, e é criticada pela oposição, a qual pede para o Maduro antecipar o fim de seu mandato e realizar eleições presidenciais. (ANSA)