Mundo

Presidente iraniano faz crítica violenta contra os conservadores

Presidente iraniano faz crítica violenta contra os conservadores

O presidente iraniano, Hassan Rohani, lançou uma violenta crítica aos conservadores, afirmando que o povo dirá nas eleições presidenciais que "não quer aqueles que durante 38 anos só usaram métodos repressivos" - AFP/Arquivos

O presidente iraniano, Hassan Rohani, lançou nesta segunda-feira uma violenta crítica aos conservadores, afirmando que o povo dirá nas eleições presidenciais de 19 de maio que “não quer aqueles que durante 38 anos só usaram métodos repressivos”, informou a agência Isna.

“A lógica de vocês é uma lógica de proibição e não tem mais nada a oferecer”, afirmou Rohani, aludindo aos candidatos conservadores sem dizer nomes diretamente.

Ele afirmou ainda que, nas eleições presidenciais de 2013, “o povo iraniano disse que elegeu o caminho da liberdade e de novo dirá que não quer aqueles que só praticaram execuções e prisões durante 38 anos”, declarou Rohani, referindo-se ao ano da criação da Revolução Islâmica, 1979.

Rohani alertou aos eleitores que pensam em se abster em 19 de maio que os conservadores construirão “muros para separar os homens das mulheres”, apesar de nenhum dirigente conservador ter dito tal coisa.

Diante disso, um líder conservador, Alireza Zakani, respondeu no Twitter que “esta acusação ridícula e repetitiva não engana ninguém”, mas que “o muro econômico entre um governo de mercadores e os pratos vazios das pessoas, sim, é sentido profundamente”.

Seis candidatos se apresentam nas eleições presidenciais iranianas: três reformadores moderados (Rohani; seu primeiro vice-presidente, Es Hagh Jahanguiri, e Mustafa Hashemitaba) e três conservadores (o prefeito de Teerã, Mohamad Bagher Ghalibaf; o religioso Ebrahim Raisi e Mustafa Mirsalim).