Esportes

Prefeito enaltece estrutura e vê Los Angeles ‘pronta agora’ para os Jogos de 2028

Palco de duas edições da Olimpíada, realizadas em 1932 e 1984, Los Angeles foi oficializada nesta quarta-feira, durante encontro da cúpula do Comitê Olímpico Internacional (COI) em Lima, no Peru, como sede dos Jogos de 2028. Fruto de um tríplice acordo que envolveu a máxima entidade olímpica e Paris, confirmada simultaneamente nesta quarta como local de disputa da Olimpíada de 2024, a garantia da volta do grande evento aos Estados Unidos foi comemorada pelo prefeito da cidade norte-americana, Eric Garcetti, em solo peruano.

Mais do que isso, Garcetti enalteceu o fato de que Los Angeles já estaria praticamente preparada para abrigar o evento olímpico que ocorrerá daqui a 11 anos se o mesmo começasse hoje, tendo em vista o grande número de locais de competição das mais diversas modalidades espalhadas pela cidade e a sua vasta estrutura e tradição esportiva.

“Nós estamos prontos agora”, afirmou o prefeito, ressaltando também a importância que a confirmação de Los Angeles como sede da Olimpíada de 2028 tem para a metrópole norte-americana. “Trazer os Jogos Olímpicos de volta a LA nos dá uma chance de imaginar com o que a nossa cidade irá se parecer daqui uma década”, disse.

Garcetti destacou também, em seu discurso em Lima nesta quarta, que “Los Angeles é uma cidade onde os Jogos não são uma barreira para fazer progressos”. No caso, ele se referiu ao fato de que as modernas e poderosas instalações esportivas já existentes na cidade são uma garantia de que o orçamento municipal não ficará comprometido por causa da realização da Olimpíada.

Além disso, pelo fato de ter entrado em acordo com Paris ao abrir mão dos Jogos de 2024 e só ter a Olimpíada em 2028, Los Angeles vai receber do COI um aporte financeiro de US$ 300 milhões (cerca de R$ 940 milhões) ou mais como compensação em meio às possíveis incertezas que poderão ocorrer durante o longo processo de preparação para um evento que acontecerá apenas daqui a 11 anos.

No momento, entretanto, Los Angeles tem apenas a convicção de que voltará a receber com sucesso uma edição da Olimpíada, assim como aconteceu em 1984. “Teremos de adaptar os Jogos Olímpicos à cidade, e não a cidade aos Jogos Olímpicos. O que podem demonstrar Paris e Los Angeles é que a maioria de nossas instalações e infraestrutura já está construída”, ressaltou Garcetti.

Casey Wasserman, presidente da candidatura de Los Angeles, também exaltou a “oportunidade única” que a cidade norte-americana e Paris terão de se ajudarem neste processo de preparação para as estas duas edições da Olimpíada que ocorrerão após os Jogos de Tóquio-2020. Mais do que isso, o dirigente espera que essas cidades provem que este pode ser o ponto de partida de sucesso para um novo formato de eleição das sedes olímpicas.

“Espero que este seja um interessante paradigma para o mundo daqui para frente. Nós somos duas grandes cidades, essas são duas grandes sedes olímpicas e vão ser dois grandes Jogos Olímpicos”, afirmou Wasserman.