Em Cartaz

Poesia contra a guerra

O diretor italiano Ermanno Olmi completa 85 anos esse mês – e é ele quem presenteia o público com mais uma obra-prima

Poesia contra a guerra

O diretor italiano Ermanno Olmi completa 85 anos esse mês – e é ele quem presenteia o público com mais uma obra-prima. Ganhador da Palma de Ouro pelo sensível “A Árvore dos Tamancos” (1978), no qual todo o elenco é formado por camponeses reais que nunca haviam atuado em um filme, Olmi emociona com seu manifesto antibelicista “Os Campos Voltarão”. Dessa vez, suas lentes miram o desespero de soldados italianos aprisionados em uma trincheira sob a neve, durante a I Guerra Mundial. Exibido em 2015 na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o longa foi eleito melhor filme na opinião da crítica. Traduzindo de forma poética as aflições dos combatentes, a trama extrai beleza do absurdo da guerra e deixa uma mensagem preciosa para a desalentadora intolerância dos conflitos atuais.

+5 Provocações de Ermanno Olmi

2432-CARTAZ-02

O POSTO (1961)
Para ajudar sua família sem dinheiro, um jovem abandona os estudos e se submete à bizarra seleção de emprego.

A CIRCUNSTÂNCIA (1974)
Uma rica dona de casa se envolve com a vítima de um acidente.

A ÁRVORE DOS TAMANCOS (1978)
Ao cortar uma árvore para poder dar o que calçar ao filho pequeno, um camponês perde o emprego.

A LENDA DO SANTO BEBERRÃO (1988)
Mendigando pelas ruas de Paris, um alcoólatra tem a chance de recuperar sua dignidade ao restituir o dinheiro de uma esmola.

A ALDEIA DE PAPELÃO (2011)
Um grupo de imigrantes africanos salva uma igreja condenada na Itália.