Edição nº2467 24.03 Ver edições anteriores

O papel dos pais na educação dos filhos

Fevereiro chegou e trouxe consigo a retomada das atividades em grande parte das escolas brasileiras. É tempo de recomeço e de criação de novos laços entre alunos, professores, diretores e equipe pedagógica. E, junto com toda a comunidade escolar, há também o papel fundamental dos pais, que devem motivar seus filhos para esse reinício, mostrando-lhes como a escola poderá ser um grande elemento transformador em suas vidas.

Hoje, diversas pesquisas já mostram que escolas em que há participação ativa dos pais tendem a propiciar melhor desempenho escolar dos alunos e a reduzir os níveis de indisciplina e de violência. Como pai e educador, diria aos pais que não deixem de participar da vida escolar de seus filhos. É preciso ter a educação como um valor familiar. Demonstrar interesse e acompanhar a vida escolar dos filhos pode contribuir não só para melhorar o desempenho escolar deles, mas também seu desenvolvimento pessoal e social.Quando a criança percebe que seus pais estão em uma aliança com a escola, ela se sente muito mais protegida, conforme afirma com propriedade a professora Heloisa Zymanski, da PUC-SP.

Há muitas formas práticas de acompanhar o cotidiano escolar dos filhos, como visitar a escola sempre que possível, conversar com os professores e comparecer às reuniões. Em casa, é importante conversar com os filhos sobre o que mais gostam nas aulas, entender suas dificuldades, saber como anda a relação deles com os professores e colegas, checar se estão fazendo as lições de casa. Além disso, é também importante oferecer um lugar com tranquilidade e luminosidade para que possam se concentrar enquanto estiverem fazendo as lições de casa e, sempre que possível, criar oportunidades de ampliar o repertório cultural e esportivo deles.

Apesar de parecerem tarefas simples, a pesquisa “Atitudes pela Educação”, divulgada em 2014 pelo movimento Todos Pela Educação, mostrou que ainda é muito pequeno – em torno de 12% – o grupo de pais e responsáveis realmente comprometidos com vida escolar das crianças e jovens. Esse percentual é representado por aqueles indivíduos que realmente buscam informações sobre a escola, promovem o diálogo e a parceria com outros pais e professores, acompanham e apoiam os filhos na rotina escolar.

Os gestores escolares também têm um importante papel nesse processo de aproximação dos pais com a escola. Entre outras coisas, eles podem: (i) apresentar a escola aos pais, especialmente agora no início do ano letivo; (ii) criar uma “Escola de Pais” com palestras e debates, como um espaço de construção no processo educativo mais amplo; (iii) constituir a Associação de Pais e Mestres (APM), visando o fortalecimento da gestão escolar e do processo pedagógico, dando luz ao projeto político-pedagógico da escola. Portanto, há diversas possibilidades para esse desejável processo de aproximação dos pais com a vida escolar dos filhos.

Há um sábio provérbio africano que diz que, para educar uma criança, é preciso toda uma aldeia. Não terceirizem a educação de seus filhos. Sobre isso, o Papa Francisco é enfático: “Chegou a hora de os pais e as mães voltarem de seu exílio – porque se autoexilaram da educação dos próprios filhos – e recuperarem suas funções educativas, reapropriando-se de seus papéis insubstituíveis”.O tempo é único e não volta. Portanto, pais, façam a sua parte, educando, acompanhando a vida escolar e cuidando bem de seus filhos.


Mais posts

Ver mais

Recomendadas

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.