A semana

Não vale o PT dizer que o HIV é golpista

Não vale o PT dizer que o HIV é golpista

Governos populistas, que mentem ao povo vendendo a imagem de que tudo vai bem no país enquanto administram na surdina com olhos em seus interesses particulares, invariavelmente deixam a economia em estado agonizante. Já quanto à saúde pública, eles a matam. Foi o que as duas últimas gestões petistas, em âmbito federal, fizeram com a prevenção da Aids no Brasil. Resultado: o País volta a ser trágico destaque mundial como um dos pontos no qual mais se dissemina o vírus HIV. Não era assim antes dos ministros da Saúde de Lula e Dilma. Mais: quando o tucano José Serra ocupou esse ministério, o Brasil se transformou em referência mundial na prevenção e distribuição de coquetel antirretroviral. Com o PT, as campanhas despareceram. “O Brasil, sozinho, responde por mais de 40% das novas infecções na América Latina”, diz o relatório mundial das Nações Unidas, divulgado na semana passada. Em 2010 havia 700 mil brasileiros com HIV, hoje já são mais de 830 mil. Registram-se cinco novos casos por hora e anualmente 15 mil pessoas morrem. À exceção do continente africano e agora também do Brasil, na maioria dos países o número de novas infecções caiu. Os ministros petistas, nessa área, sempre foram intolerantes ao diálogo com profissionais melhores capacitados e promoveram o sucateamento geral do SUS. Espera-se que o PT não passe agora a chamar o vírus HIV de golpista.