Comportamento

“Não conseguia nem passar pela catraca”, diz publicitário que perdeu 100 quilos em um ano

Ex-obeso conta como uma aposta o motivou a perder peso e mudar os hábitos alimentares. Hoje, com quase 101 quilos a menos, ele acredita que é possível emagrecer sem recorrer a medicamentos ou intervenções cirúrgicas

“Não conseguia nem passar pela catraca”, diz publicitário que perdeu 100 quilos em um ano

Em 2014, o publicitário Fabiano Lacerda foi desafiado por colegas do trabalho a perder 60 quilos em seis meses. No fim das contas, Lacerda foi além e, com mudanças nos hábitos alimentares e exercícios, eliminou 100 quilos em um ano sem remédios ou cirurgia bariátrica.

“Eu tinha consciência que precisava emagrecer. A aposta foi uma empolgação, foi um jeito de me empolgar. Fui atrás de nutricionista, cardiologista e preparador físico e aos poucos fui mudando meu dia a dia. Mas o combinado era sem cirurgia ou remédio”, conta o publicitário que chegou a pesar 193 quilos.

Até o pai de Lacerda o desafiou e disse “Não acredito que você consiga emagrecer, por isso, aposto 5 mil reais”. Depois disso, o publicitário procurou profissionais e tentou mudar sua rotina ao máximo.

O publicitário ressalta a importância de um acompanhamento psicológico na hora de perder peso. No processo de emagrecimento, um psicólogo pode ajudar nas horas das dúvidas e frustrações. “Me arrependi muito de não ter tido um acompanhamento de um profissional. Quando somos obesos e passamos por todo o processo, o nosso humor é uma montanha-russa”, ressalta.

A aposta deu tão certo que Lacerda conseguiu atingir o peso exigido em cinco meses e manteve as mudanças. Ele não parou de fazer exercícios e reaprendeu a comer. Mas o processo inteiro não foi fácil. “Eu pensei em desistir a todo momento, quando nasceu um calo no meu pé. Você precisa realmente criar coragem”, conta.

Lacerda começou com exercícios leves e mudança de hábitos na alimentação. As caminhadas foram aumentando ao longo do processo. Depois de quatro meses , ele evoluiu para corridas e começou a treinar todos os dias. Atualmente, pratica corrida, natação e musculação pelo menos uma hora e meia por dia e já participou de oito meia-maratonas.

Para Lacerda, o principal motivo de ter engordado tanto ao longo da vida foi a falta de regras. Ele não tinha horário para as principais refeições e não criava hábitos que o ajudassem a comer melhor. Sua alimentação era feita toda à noite, ele não ingeria quase nenhum alimento no café da manhã ou almoço.

Quando chegava o fim do dia, Lacerda se alimentava compulsivamente com fast food, refrigerantes e alimentos conservados. Hoje, com 91 quilos, ele conta que continua com uma alimentação regrada com legumes, frutas e carnes magras,  mas ocasionalmente come alimentos gorduroso, como doces e refrigerantes.

O publicitário reforça ainda que não é contra a cirurgia em alguns casos. Para ele, não há como falar o que cada um pode fazer e qual medida deve tomar. Ter hábitos saudáveis pode ser um deles, mas acima de tudo o médico e a pessoa devem decidir juntas qual o melhor caminho.

Embora fosse obeso, os exames médicos não mostravam grandes alterações em sua saúde. Mas o que mais incomodava Lacerda eram as limitações no dia a dia. ” Eu não podia andar em transporte público, andar de bicicleta, passar numa catraca, era bem constrangedor”, diz.

A perda de peso o ajudou em diversos pontos, inclusive na carreira. Hoje, ele trabalha como coach de saúde, ministrando palestras sobre motivação. Também está lançando sua biografia no livro A Aposta: As Motivações que Encontrei para Perder mais de 100 kg, da Editora do Autor, livro no qual detalha todo o processo de emagrecimento.