Economia

Ibovespa recupera parte das perdas recentes e fecha em alta de 1,05%

A Bovespa iniciou a semana com uma sessão de recuperação de parte das fortes perdas da sexta-feira. Nesta segunda-feira, 20, as ações do setor de carnes mantiveram na maioria o viés de queda, mas não refletiram o mesmo nervosismo da sexta-feira. O resultado da equação foi uma alta de 1,05% do Índice Bovespa, que terminou o dia aos 64.884,26 pontos. O volume de negócios totalizou R$ 12,2 bilhões, inflado pelos R$ 3,1 bilhões do exercício de opções.

A alta da bolsa foi garantida principalmente pelas ações de commodities e do setor financeiro. Os papéis da Vale e da Petrobras subiram a despeito das quedas do minério de ferro e do petróleo no mercado internacional. Nos dois casos, operadores citaram o exercício de opções como fator importante para alavancar os negócios, mesmo no período da tarde. Isso porque alguns investidores tiveram de buscar papéis no mercado à vista para honrar compromissos no de opções.

No caso da Petrobras, pesou positivamente ainda a decisão judicial que liberou a empresa a dar continuidade à licitação internacional da plataforma de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. Ao final do pregão, Petrobras ON e PN tiveram ganhos de 2,38% e 3,34% respectivamente. As ações da Vale avançaram 1,05% (ON) e 1,00% (PNA), sem precificar a notícia da elevação do rating da mineradora, uma vez que a Moody’s anunciou a medida após o fechamento dos negócios. A agência de classificação de risco elevou a nota da empresa de Ba3 para Ba2, com perspectiva positiva.

No que diz respeito à operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal na sexta-feira, o que pairou nas mesas de negociação foram dúvidas. Em meio à tentativa das empresas e do governo de reverter os estragos feitos pelas denúncias de irregularidades no comércio de proteína animal, países como China, Chile, Coreia do Sul e Europa se manifestaram pela suspensão das importações de carne brasileira.

As ações do setor continuaram a cair, atingindo também os papéis de empresas que não foram relacionadas ao caso. Marfrig ON foi a segunda maior queda do Ibovespa, com perda de 4,29%. BRF ON caiu 2,16% e Minerva ON, que não compõe a carteira do Ibovespa, recuou 7,43%. A exceção foi JBS ON, que subiu 0,75%, depois de despencar 10,59% na sexta-feira.

Tópicos

bovespa