Mundo

Hillary culpa FBI, rivais e Rússia por derrota nas eleições

NOVA YORK, 13 SET (ANSA) – Em seu novo livro, a ex-secretária de Estado norte-americano, Hillary Clinton, atribuiu sua derrota nas eleições presidenciais em 2016 ao ex-pré-candidato democrata Bernie Sanders, ao ex-diretor do FBI James Comey , a imprensa, a Rússia, além do ex-rival Donald Trump.   

“What Happened” (“O que aconteceu”, em tradução livre) foi lançado nesta terça-feira (12), cerca de 10 meses após a democrata perder a disputa à Casa Branca para Trump. Com 469 páginas, o livro de Hillary aborda temas polêmicos sobre o que ela considera ter influenciado o resultado, além de sua vida depois da derrota.   

De acordo com a publicação, um dos obstáculos mais sentidos por Hillay foi a atuação de Comey. Na época, o então diretor do FBI anunciou, 10 dias antes da eleição, uma nova investigação sobre o uso indevido de e-mails privados.   

“Comey fez uma escolha de me criticar fortemente em público em julho e depois reabrir a investigação em 28 de outubro, sem dizer uma palavra sobre Trump e Rússia”, escreve Hillary ressaltando que se “não fosse por essas decisões, tudo teria sido diferente”.   

Para a ex-secretária de Estado, Sanders tem sua parcela de culpa por incessantes ataques. “Os ataques deles causaram um prejuízo duradouro, tornando ainda mais difícil unir os progressistas nas eleições gerais”, ressalta.   

Além disso, Hillary também cita “o plano da Rússia para sabotar” sua campanha, incluindo o vazamento de e-mails do seu então diretor John Podesta. “Mesmo sem haver fogo, havia fumaça suficiente para sufocar nossa campanha”.   

Ela ainda escreveu que enquanto disputava uma campanha presidencial, Trump participava de um “reality show que, de forma incansável e hábil, alimentava a raiva e o ressentimento dos norte-americanos”.   

Por sua vez, para a porta-voz da Casa Branca, disse que é “triste que Hillary Clinton está promovendo a venda de seu último livro com uma série de ataques”. Já o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não tem intenção de ler o livro de memórias da democrata.   

Em uma entrevista concedida ao jornal “USA Today” sobre seu livro, Clinton assegura que a suposta vingança de Putin estava relacionada com a expansão da OTAN na Europa do Leste que ocorreu durante a presidência de Bill Clinton, seu marido.   

Disputa presidencial A ex-sercretária de Estado anunciou que não noltará a disputar uma eleição, e reconheceu que a vitória de Trump “ainda é muito dolorosa”.   

“Eu apenas senti uma decepção enorme, uma espécie de perda de sentimento, direção e tristeza”, contou, acrescentando que, para se recuperar, fez caminhadas, se dedicou a arrumar os armários e tomou doses de Chardonnay. (ANSA)