Esportes

Etapa decisiva do Dakar é cancelada devido a chuva e desmoronamentos na Argentina

Uma catástrofe na região norte da Argentina provocou nesta quarta-feira o cancelamento da nona etapa do Rally Dakar, um estágio considerado decisivo para a maior competição off road do mundo. Ela seria disputada da cidade de Salta para Chilecito, mas no dia anterior as fortes chuvas provocaram enchentes e alguns desmoronamentos que atingiram a cidade de Volcán, a 160 km de Salta, interditando a rodovia que os competidores, equipes de apoio e veículos da própria organização estavam utilizando para chegar no final do dia ao acampamento em Salta, final da oitava etapa.

De acordo com a Defesa Civil argentina, os danos foram consideráveis e está sendo dada ajuda às vítimas, todas da população local – as informações são de dois mortos e inúmeros desabrigados. A organização do Rally Dakar ofereceu as suas instalações sanitárias para reforçar o apoio de segurança no local.

Como a estrada ficou interrompida, a maioria dos veículos foram desviados para uma rota alternativa por San Antonio de Los Cobres, estendendo a distância do deslocamento em 200 km, o que impossibilitou a chegada dos concorrentes e organização ao acampamento de Salta em tempo para começar a nona etapa. Assim, esta quarta-feira foi dedicada a reagrupar a caravana em Chilecito, para que nesta quinta seja disputada a 10.ª etapa.

A nona etapa seria decisiva para a prova, já que ela era a mais longa, com um total de 977 km, sendo que o trecho cronometrado teria 406 km. Como as chuvas já provocaram a redução da 5.ª, 7.ª e 8.ª especiais e também o cancelamento da 6.ª (na Bolívia) e 9.ª etapas, o roteiro inicialmente previsto já teve uma amputação de 42% dos trechos cronometrados, ou seja, 1.400 km dos 3.300 km de setores competitivos não serão disputados devido à péssima condição climática.

A 10.ª etapa acontecerá nesta quinta-feira entre as cidades de Chilecito e San Juan. Carros, motos, quadriciclos, UTVs e caminhões deverão percorrer um total de 751 km, com uma especial de 449 km. A liderança entre as motos é do britânico Sam Sunderland, da KTM. Entre os carros, o melhor é o francês Sébastien Loeb, da Peugeot.