Economia

CSN: Ebitda ajustado sobe 82% no 1º trimestre

A CSN informou nesta segunda-feira, 15, que não entregará o balanço financeiro do primeiro trimestre de 2017 no prazo, que se encerra hoje, e divulgou alguns resultados não revisados pelos auditores independentes. A empresa informou que seu Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) ajustado entre janeiro e março foi de R$ 1,333 bilhão, uma elevação de 82% sobre igual período do ano passado e de 7% ante o quarto trimestre.

A receita líquida do primeiro trimestre somou R$ 4,412 bilhões, alta de 15% na comparação anual e queda de 2% na trimestral. O resultado financeiro gerencial foi negativo em R$ 522 milhões, valor 46% menor do que os R$ 968 milhões negativos do primeiro trimestre do ano passado. O resultado gerencial considera participações de 60% na Namisa, 33,27% na MRS e 50% na CBSI até novembro/15 e de 100% na Congonhas Minérios, 37,27% na MRS e 50% na CBSI, a partir de dezembro/15.

A dívida líquida ajustada, que considera 33,27% da participação na MRS, 60% na Namisa e 50% na CBSI até novembro/15, foi de R$ 25,477 bilhões no primeiro trimestre, 4% menor na comparação anual. A relação entre dívida líquida/Ebitda ajustado caiu de 8,7 vezes no primeiro trimestre de 2016, para 6,3x no quarto trimestre e 5,4x no final de março deste ano.

A venda de aço no primeiro trimestre deste ano foi de 1,194 milhão de toneladas, queda de 4% na comparação anual. A receita líquida por tonelada foi de R$ 2.522 de janeiro a março, alta de 15%. Já a venda de minério de ferro caiu 13% no período, para 7,244 mi/t.

Balanço

A empresa explicou que o atraso na divulgação do balanço do primeiro trimestre acontece devido à “revisão do tratamento contábil acertado à operação realizada pela companhia em 30 de novembro de 2015, que resultou na combinação de negócios das atividades de mineração e logística correlata, sem modificação da sua estrutura negocial”.

Segundo a companhia, esta revisão impacta as demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2015 e consequentemente os saldos de abertura dos números das demonstrações referentes a 2016 e do primeiro trimestre deste ano.

“A companhia está empenhada em divulgar as DFs 2016, bem como o 1º ITR 2017, o mais breve possível. Tão logo haja uma definição sobre a data da conclusão dos trabalhos, será comunicado ao mercado.”