Cultura

Conheça 10 museus ‘inusitados’ na Itália

ROMA, 19 MAI (ANSA) – Quando se pensa em museu na Itália, a primeira coisa que pode vir à cabeça são as esculturas de Bernini ou as obras de Leonardo da Vinci. No entanto, é possível também visitar exposições com temas “inusitados” no país. Confira: Museo del Coltello Sardo – (Cagliari) – “Museu da Faca da Sardenha”- Na Sardenha existem diversos museus, mas esse é um dos mais estranhos. As facas que ele abriga são conservadas como verdadeiras obras de arte com puxadores com formato de veado, javali e águia, e com lâminas de diversas dimensões e amolação. Neste museu também está guardada a faca mais pesada do mundo, com 295 kg, criada pelo artista Paolo Pusceddu.   

Museo del Papiro – (Siracusa) – “Museu do Papiro” – Entrar nesse museu é como fazer um passeio entre os papiros farônicos, hieráticos, demóticos e coptas, além de utensílios e materiais para a escritura que eram utilizados: almofarizes e pilões, paletas, pincéis e cores. Durante a visita, também é possível assistir ao vivo ao trabalho no papiro e a lições didáticas do tema.   

Museo del Rubinetto (San Maurizio d’Opaglio – Novara) – “Museu da Torneira”- “Somos como água que escorre, gota após gota” – é isso o que criador deste museu deve ter pensado. O objetivo do local é abordar a relação do homem com a água. Além da descoberta e da evolução das torneiras, é possível conhecer truques de mestres dos hidráulicos, percorrendo a história da higiene pessoal.   

Museo dell’ombrello e del parasole (Verbano Cusio Ossola – Cuneo) – Museu do Guarda-Chuva e do Guarda-Sol: O museu abriga objetos de origens provenientes da China e do Egito. Nele, são guardados os mais antigos relíquias do século 13. Além disso, dados sobre uma das profissões mais antigas do mundo: a dos fabricantes de guarda-chuvas. O único requisito fundamental aqui é andar munido de um.   

Museo della Bora (Trieste) – Museu do Vento – Neste museu é possível medir a velocidade do vento ou admirar uma rosa dos ventos, além de estudar e aprofundar o fenômeno da energia eólica, ler curiosidades sobre a bora (vento catabalístico) e até brincar com o vento.   

Museo delle Anime del Purgatorio (Roma) – Museu das Almas do Purgatório – O museu abriga a coleção bizarra do padre Jouet, que após um incêndio encontrou algumas imagens de rostos sofrendo nas paredes. Manuscritos, pegadas e ilustrações deixadas pelos espíritos testemunham o sofrimento das almas do purgatório, que desejavam ultrapassar o limbo e voltarem à vida.   

Museo Bonsai Crespi (Milano) – Museu do Bonsai – Ponto de encontro das culturas do Ocidente e do Oriente, é a única exibição permanente de bonsai no mundo. Dentro deste museu, não há apenas esta, mas também outras antigas plantas exuberantes, além de vasos e livros antigos do extremo Oriente. Museo del Cavatappi (Barolo – Cuneo) – Museu do Abridor de Vinho – Na terra do vinho não poderia faltar um museu dedicado a um dos instrumentos mais utilizados para abrir o “néctar dos deuses”. Inaugurado em 2006, o museu contém mais de 500 abridores de vinho de todos os tipos. No fim da visita guiada, é possível degustar um Barolo.   

Museo del Flipper (Bologna) – O local abriga mais de 400 flippers, jogos de vídeo-game e máquinas de moeda que existiam em bares e pontos de encontro. Dentro das salas do museu, o tempo parece ter parado -os visitantes também jogar, se divertir e relembrar os velhos tempos.   

The Shit Museum (Castelbosco – Piacenza) – Museu do Coco – O museu surgiu em 2005 e é um projeto de um grupo de empreendedores agrícolas que analisaram a importância das excreções em diferentes usos. Apesar do nome, o museu trata da matéria com máxima seriedade. Também tem uma seção dedicada à excreção na literatura, como na Naturalis Historia di Plinio, além do uso moderno de esterco. (ANSA)