A semana

A campanha da ABIN não merece nem bronze

A campanha da ABIN não merece nem bronze

Está indo mal a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) em sua campanha pela segurança contra o terrorismo na Olimpíada. Uma de suas peças pede para que o “agente de segurança mais próximo” seja avisado se alguém se deparar, por exemplo, com indivíduos que estejam utilizando “roupas, mochilas e bolsas destoantes das circunstâncias e do clima”. Ninguém soube explicar direito o que é o “destoante”, mas no cartaz aparece casaco com capuz. Mais: o cartaz da ABIN diz que suspeitos “agem de forma estranha e demonstram intenso nervosismo”. Bobagem. Quem não se lembra daqueles dois homens-bomba passeando tranquilamente no aeroporto de Paris, empurrando carrinho de bagagem e com todo o jeito de quem ia viajar. Milhares de internautas estão criticando a campanha.