Comportamento

Caiu na rede

Como o sucesso impulsionado por posts em redes sociais fez da pegajosa “Deu Onda” a música mais ouvida pelos brasileiros

Caiu na rede

HITMC G15 começou a cantar aos 15 anos na igreja

8
Elenco de Malhação dança coreografia

Talvez você ainda não tenha ouvido a música, mas provavelmente já viu partes da letra em postagens na internet. Com frases mais pegajosas do que criativas, “Deu Onda”, funk escrito por MC G15, 18 anos, é o tipo de canção que faz sucesso em um mundo onde a vida acontece nas redes sociais. Foi composta para que todos os versos possam servir de legendas de fotos e vídeos, principalmente no Facebook, no Instagram e no Snapchat. Daí vem uma explicação para o sucesso estrondoso da música, uma das mais tocadas nas festas de Réveillon em todo o mundo nas plataformas de música Spotify, Deezer e Apple Music. Vídeos com a coreografia e memes também ajudaram, principalmente em posts de famosos. “Havia um tempo em que o artista, para fazer sucesso, precisava ter o clipe exibido no ‘Fantástico’”, diz DJ Marlboro, precursor do funk no Brasil. “Hoje, por causa da internet, a divulgação é pulverizada. Se viralizar, como aconteceu com ‘Deu Onda’, já era, vira sucesso.”

9
A atriz Viviane Araújo dança ao ritmo de “Deu Onda”

G15 começou a cantar aos 15 anos, na igreja. Depois, foi para o funk. Já fazia shows, mas nada comparado com agora, quando diz se apresentar de segunda a segunda. “Deu Onda” surgiu como música com palavrões, bastante sexualizada. “A primeira versão funciona para a rua, para bailes”, diz G15 em entrevista por e-mail – ele não fala por telefone porque, segundo sua equipe, dorme de dia. Depois de ganhar a segunda versão, mais romântica, foi para o YouTube e estourou. Em 20 dias, chegou a 80 milhões de visualizações. É potencial hit do Carnaval, mas terá de concorrer com a melódica “Me Libera, Nega”, que, apesar de não ter uma letra tão “postável”, tem uma história pitoresca. Começou a fazer sucesso quando o hoje MC Beijinho, da delegacia e algemado, cantou seus versos para um repórter de uma TV baiana. Que vença a mais chiclete.