Finanças

Bom humor prevalece e bolsas europeias sobem com mercado focado no G-20

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, 17, após atingirem recordes na sessão anterior. Os ganhos, no entanto, foram limitados com o mercado no aguardo pelas reuniões de ministros de finanças e de presidentes de bancos centrais do G-20.

A bolsa de Londres fechou em alta de 0,12%, aos 7.424,96 pontos; Paris ganhou 0,32%, aos 5.029,24 pontos, e Frankfurt avançou 0,10%, aos 12.095,24 pontos. Já a bolsa de Madri subiu 0,77%, aos 10.245,80 pontos; Lisboa teve acréscimo de 0,20%, aos 4.613,88 pontos, enquanto a bolsa de Milão caiu 0,18%, aos 20.074,28 pontos.

Na semana, Londres acumulou alta de 1,12% – no terceiro avanço semanal consecutivo -, Paris subiu 0,72% e Frankfurt avançou 1,10%. A bolsa de Milão, por sua vez, ganhou 2,12%, Madri avançou 2,39% e Lisboa caiu 0,27%.

Os investidores se concentraram principalmente no encontro do G-20, na Alemanha. Wolfgang Schaeuble, ministro das Finanças da Alemanha, disse à imprensa depois de uma reunião com o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, que o superávit da Alemanha se deve ao fato de não ter sua própria moeda e não ser responsável por sua política monetária.

O mercado esteve atento se Mnuchin poderia abordar questões cambiais e relativas ao comércio internacional. O encontro do G-20 termina amanhã.

“Embora esses eventos tenham pouco impacto nos mercados nos últimos anos, um pouco mais atenção foi vista desta vez, uma vez que será a primeira reunião com a participação do novo Secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin”, disse Victoria Clarke, economista da Investec, em nota.

A maioria dos setores obtiveram ganhos, mas o de telecomunicações liderou as altas, com o BT Group terminando com avanço de 1,27% e a Telecom Itália com ganho de 1,69%.

Já a construtora do Reino Unido Berkeley Group saltou 6,1% depois de indicar que seus lucros atingirão o topo das expectativas dos analistas.

Por outro lado, a petrolífera multinacional Tullow Oil teve uma queda superior a 14%, após a notícia de que a empresa emitirá notas no valor de 607 milhões de libras para tentar reduzir seu endividamento, com desconto de 45% por cento para o seu preço atual da ação.

O norueguês Nordea caiu mais de 6,3 por cento na sexta-feira. Isso vem depois de uma disputa com o governo sueco. O presidente da Nordea disse quinta-feira que provavelmente proporá mudar a sede sueca se o governo aumentar as taxas do fundo de resgate bancário do país.

Na agenda de indicadores da Europa, o superávit comercial da zona do euro sofreu forte queda em janeiro, a 15,7 bilhões de euros, graças a um salto de 4,1% nas importações e uma redução de 0,6% nas exportações.(Com informações da Dow Jones Newswires)