Finanças

Bolsas de Nova York fecham em queda

As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta quinta-feira, 6, pressionadas por ações dos setores de energia, saúde e consumo. O recuo foi disseminado, com todos os 11 setores do S&P 500 em queda, após o índice subir nas três sessões anteriores.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,74%, em 21.320,04 pontos, o Nasdaq recuou 1,00%, para 6.089,46 pontos, e o S&P 500 teve baixa de 0,94%, a 2.409,75 pontos.

Alguns investidores e analistas têm afirmado que o rali das ações neste ano pode perder força no segundo semestre, especialmente se os custos de empréstimo subirem e o crescimento econômico for medíocre. Nas últimas semanas, os retornos dos bônus de governos avançaram, após bancos centrais sinalizarem com a redução gradual de estímulos monetários mais adiante.

“Há uma visão quase unânime de que os bancos centrais recuarão dessa política não convencional, seja com alta nas taxas de juros ou com a retirada de relaxamento quantitativo, ou nos Estados Unidos com a venda de alguns ativos do banco central”, afirmou Paul Flood, gerente de portfólio da Newton Investment Management.

As ações no setor de energia recuaram 1,8%. Este é o pior setor no S&P 500 em 2017. Entre os papéis com as maiores queda hoje estavam Newfield Exploration, Apache e Cabot Oil & Gas. A fraqueza do petróleo pressiona companhias do setor, que recua 15% no S&P 500 até agora neste ano.

As ações de consumo discricionário tiveram baixa de 1%, no S&P 500. O papel da controladora da Victoria’s Secret, a L Brands, recuou 14% após ela divulgar uma forte queda nas vendas em mesmas lojas no mês de junho.

O setor de saúde recuou 1,3%. O conglomerado de suprimentos médicos Patterson teve queda de 6,9%, após a corretora Stifel Nicolaus piorar a recomendação da ação de “manter” para “vender”. Fonte: Dow Jones Newswires