Cultura

Biblioteca de Rachel de Queiroz retorna ao Ceará

A biblioteca da escritora Rachel de Queiroz (1910-2003), que foi cronista do Caderno 2, retorna ao Ceará e passa a fazer parte do acervo da Universidade de Fortaleza, graças à parceria entre a Fundação Edson Queiroz, de Fortaleza, e o Instituto Moreira Salles (IMS).

Composto de 3.063 itens, sendo 2.800 livros e 263 periódicos, o acervo traz obras raras de literatura, poesia, críticas e estudos literários. Como as primeiras edições dos livros Claro Enigma (1951) e Fala, Amendoeira (1957), de Carlos Drummond de Andrade; e uma edição limitada de 50 exemplares de O Defunto (1967), de Pedro Nava, assinada pelo autor.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.