Edição nº2493 22.09 Ver edições anteriores

Agente do FBI casa com terrorista do Estado Islâmico

PARECE FILME A ex-espiã Daniela e o jihadista Cuspert: paixão doida e casamento na Síria
PARECE FILME A ex-espiã Daniela e o Jjihadista Cuspert: paixão doida e casamento na Síria (Crédito:Divulgação)

Bate um coração carente, carente e bem doido, no peito de uma mulher que parecia um iceberg no quesito sentimentos – gelada na emoção como de fato devem ser, e ela era, as agentes secretas do FBI (políca federal americana). Seu nome: Daniela Greene. Na semana passada, a rede america de televisão CNN revelou a sua fenomenal história. O caso ganhou a mídia de todo o mundo. Daniela nasceu na extinta Tchecoslováquia, casou-se com um soldado americano e foi viver nos EUA. Até aqui, tudo bem corriqueiro. Ela ingressou então como tradutora no FBI, divorciou-se e tocava a vida mornamente até que foi escolhida em janeiro de 2014 para integrar a equipe que investigava um rapper alemão que se tornara terrorista do Estado Islâmico. Seu nome: Denis Cuspert, batizado no serviço de inteligência como “Indivíduo A”. É agora que a história vai esquentar, porque nesse ponto é que esquentou o coração de Daniela. Está-se em junho de 2014, e ela viajou à Síria. Conhece pessoalmente o terrorista. Apaixona-se. Casa com ele. Carente e doido (bem doido como já dissemos), o coração da moça logo enjoou de brincar de terror. “Dessa vez meu coração fez uma grande bagunça”, escreveu ela. Mesmo temendo uma longa condenação, retornou aos EUA dois meses depois, colaborou com a Justiça e ficou presa só dois anos. Hoje trabalha em um hotel e sua identidade é protegida (por isso a CNN descaracterizou o seu rosto na imagem acima). Quanto ao “Indivíduo A”, o governo já o declarou morto mas também retificou a informação. Agora pública, ninguém hesita em apostar que a história de Daniela vai virar filme. Até diretores do FBI sabem disso, e já começam a se posicionar contrários a ideia. “É um constragimento enorme para a polícia federal dos EUA”, declarou o ex-funcionario do Departamento de Estado John Kirby.

65 mil

bolívares é o salário mínimo na Venezuela, isso após o aumento de 60% que Nicolás Maduro concedeu na semana passada. O valor subiu mas a miséria em que vive a população se agrava cada vez mais. Com um salário mínimo, inteiro, os venezuelanos podem comprar, por exemplo: quatro rolos de papel higiênico; ou três latas de leite em pó; ou três latas de azeite.

TECNOLOGIA
Lançado o primeiro satélite totalmente brasileiro

45

Foi lançado na quinta-feira 4, da base de Kourou, na Guiana Francesa, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas que poderá ser utilizado para fins civis e militares. Trata-se do primeiro satélite de comunicações exclusivamente brasileiro (o seu custo de construção mais o de lançamento foi de R$ 2,1 bilhões). O SGDC (sua sigla) expandirá os serviços de internet banda larga a todo o território nacional e monitorará com extrema precisão os movimentos nas fronteiras. O que significa ser geoestacionário? Dotado de alta tecnologia, o satélite gira na mesma velocidade da Terra – assim, é como se ficasse sempre estacionado em um mesmo ponto do planeta.

JUSTIÇA
Ela gosta de pureza. Nas joias

43

Maria Luiza Trotta era diretora comercial da H.Stern. Levou à Justiça na semana passada emails mostrando que Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, crescia em arrogância conforme subia o valor da propina ganha pelo marido. Adriana digitou: “nem as piores lojas trabalham com essa classificação de SI”. SI é o grau de pureza de um diamante. O que Maria Luiza oferecia era de grau quatro. O máximo é cinco.

POLÍCIA
Um crime além da imaginação

Decidido na semana passada: vai a juri popular (e deve ser condenado) José Cláudio Pol, ex-prefeito da cidade paranaense de Luiziana. Ele apanhou o único cilindro de oxigênio do posto de saúde da cidade e o levou para sua casa aonde serviu para bombear chope numa festa. Uma paciente que necessitou do cilindro morreu.

FRANÇA
Macron é favorito. Mas Le Pen está viva

44

A elite francesa defende o sufrágio mas vai empurrada às urnas – e no segundo turno fica em casa. Os operários do país votam em massa. Isso fará diferença na eleição presidencial. Emmanuel Macron (sem coloração política) venceu o primeiro turno nos grandes centros; Marine Le Pen (direita radical) ganhou nas periferias. Macron é favorito, mas que ninguém se surpreenda se Le Pen atropelá-lo (todo o norte industrial é dela). A união de setores democráticos contra a direita não se consolidou. Mais: após o debate entre os dois candidatos (só houve ofensas, nenhum deles apresentou um claro programa político), estimava-se uma abstenção de 30%. Somados aos votos nulos, que teve forte campanha (foto), eles fortalecem Marine Le Pen.

PESQUISA
A vergonha de ser brasileiro

42

Toda vez que um povo tem vergonha do país no qual nasceu e vive, escancaram-se as portas para a anomia. Mais: a democracia e o Estado de Direito balançam. É bastante preocupante, portanto, que 34% de brasileiros afirmem sem constrangimento que “sentem vergonha” de ser… brasileiros. É o mais alto índice desde 2000 – naquele ano a percentagem registrada foi de 9% (os dados são do Datafolha). É claro que tal situação deve-se sobretudo à classe política (leia-se corrupção). Olavo Bilac pediu no parnasiano poema A Pátria: “ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste”. Para 73 milhões de brasileiros está difícil seguir o poeta.

FOTOS: Armando Paiva/AGIF; Joel Saget/AFP


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.