A semana

Algo de estranho no reino de Bertioga

Algo de estranho no reino de Bertioga

Com as credenciais de professora de direito penal, de direito processual penal e de coordenadora de pós-graduação em perícia criminal na Universidade Damásio de Jesus, a consultora jurídica Roselle Soglio está funcionando como assistente técnica e assistente da promotoria num processo que tramita na cidade paulista de Bertioga. A doutora está estranhando um fato que relatou com exclusividade à ISTOÉ. Um BMW e um Fiat Palio trafegavam em sentido contrário na rodovia Rio-Santos. O BMW, segundo a Polícia Rodoviária, fez uma ultrapassagem na contramão e acabou se chocando com o Fiat que rodava na pista correta. No Fiat estavam Phamela Moreira e seu filho de seis anos. Ambos morreram. O BMW era conduzido por um homem quarentão, que está vivo e é réu no processo. O fato que Roselle estranha é o seguinte: fizeram exame de dosagem alcoólica no corpo do garotinho morto, mas, estranhamente, não o fizeram no sangue do réu, acusado de ter provocado o acidente.