Edição nº2487 11.08 Ver edições anteriores

Bateu o martelo

Na quarta-feira 23, o Tribunal de Contas da União (TCU) multou em R$ 15 mil o ex-ministro de Comunicação de Lula, Luiz Gushiken

Com Ronaldo Herdy

TCU
Bateu o martelo

Boe_Abre-IE-2120.jpg

Na quarta-feira 23, o Tribunal de Contas da União (TCU) multou em R$ 15 mil o ex-ministro de Comunicação de Lula, Luiz Gushiken. A mesma sanção foi aplicada ao braço direito dele na Secom, Marcus Flora. A denúncia de gastos sem controle de propaganda oficial surgiu no rastro da CPI dos Correios, em 2002. Há tempos a dupla tentava provar inocência aos ministros do TCU. Pelo que se vê, não conseguiram.

Ciências
No topo
Pela primeira vez, a “Memórias do Instituto Oswaldo Cruz”, revista criada pelo cientista que lhe empresta o nome, ultrapassou a barreira de dois pontos (2,097) de fator de impacto, segundo o conceituado Institute for Scientific Information (ISI) Web of Knowledge – órgão internacional que avalia a relevância da contribuição dos periódicos científicos no planeta. A “Memórias” coloca-se agora entre as revistas mais importantes do mundo.

Direitos Humanos
Cobrança

Boe_02.jpg

O presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Felipe González, chega ao Brasil na próxima quinta-feira 1º de julho. Antes de avistar-se com o governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), o chileno se reunirá com entidades que atuam na defesa das garantias constitucionais do cidadão. Hoje no colegiado há uns 80 processos contra o Brasil.

Presídio
Solução própria
Na regulamentação do decreto presidencial sobre o monitoramento eletrônico de presos, o Ministério da Justiça deverá ­deixar a cargo de cada governador a escolha de pulseira e tornozeleira a ser utilizada para o controle do vaivém de presos condenados por crimes de menor gravidade.

Saúde
Parada perigosa
Pacientes com tuberculose estão com dificuldades para conseguir tratamento. Os comprimidos importados pelo Ministério da Saúde do laboratório indiano Cipla chegaram cheios de pontinhos pretos. Os pacientes recusaram-se a tomá-los. O governo recolheu o remédio e fez outra encomenda a um novo produtor indiano.

Legislativo
Outras vozes
O governo trabalha em um projeto de lei que visa mudar o sistema de demarcação de terras das reservas indígenas. No Executivo, considera-se que o poder dado aos antropólogos para definir o que é uma área indígena está grande demais. A ideia é dividi-lo com comissões técnicas do Congresso Nacional.

Cultura
Revolta

Boe_03IE-2120.jpg

Artistas mineiros estão irritados com o governador Antonio Anastasia (PSDB). É que ao contrário de seu antecessor, Aécio Neves, ele vem contratando direto expoentes das artes no Rio e em São Paulo, para promover eventos culturais no Estado. As peças da Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais, por exemplo, tinham Regina Casé como garota-propaganda.

 

Direto da Copa 2010

Final
Astro maior

Boe_04.jpg

Não está descartada – mas tampouco é certa – a presença de Nelson Mandela na final da Copa. Seria sua única aparição nos estádios neste Mundial, do qual se afastou para cumprir luto pela morte de uma bisneta de 13 anos, na véspera da abertura da competição. A fundação que leva o nome do líder sul-africano anunciará a decisão nos próximos dias.

Zenani
Em família
Aliás, a imprensa sul-africana está criticando o tratamento dado pela Justiça ao ­motorista do carro em que morreu Zenani Mandela. Num país onde quem é preso dirigindo bêbado é levado à presença do juiz em, no máximo, 24 horas, Sizwe Mankazana, 23 anos, terá que fazê-lo apenas depois da Copa. O incomum privilégio, dizem os jornais, decorre da ainda não muito claras relações do réu com a própria família Mandela. 

Sons
Hit parade

Boe_05.jpg

Música mais tocada nas boates de Johannesburgo, segundo constatação unânime dos jornalistas brasileiros enviados para o Mundial 2010: “Rap das armas”, da dupla carioca Cidinho e Doca, lançada nos anos 90 e resgatada pelo filme “Tropa de Elite”, de Fernando Meirelles.

Violência
Inimigos públicos?
Os camelôs que sempre atuaram nas proximidades dos estádios sul-africanos estão enfrentando dura repressão. Por trás do porrete está a Fifa, implacável contra qualquer ameaça à exclusividade comercial de seus patrocinadores – mesmo que seja a venda de um simples picolé. Os protestos contra a ação policial ganharam o mundo. No Brasil, o MST divulgou nota de solidariedade aos ambulantes.

Trânsito
Cana duríssima
A propósito, os camelôs não sofrem sozinhos neste Mundial. Nas cidades-sede dos jogos, até os autores dos chamados delitos leves têm sofrido severas penas. Um exemplo: na noite de Brasil x Costa do Marfim, motoristas que estacionaram em áreas proibidas no entorno do Soccer City foram inapelavelmente presos. Além da multa, serão processados pelo crime “gravíssimo”.

Visto
Entrada especial
Enquanto a bola rola na África do Sul, os preparativos para o próximo Mundial seguem a todo vapor. A Fifa pediu esta semana facilidades para a entrada de estrangeiros em nosso país. Eles vêm acompanhar e fiscalizar o andamento do cronograma da próxima Copa. Será criado o visto da Copa, uma autorização que poderá tanto ser emitida pelo Conselho Nacional de Imigração quanto por nossos consulados e embaixadas no Exterior. Normalmente, um pedido do gênero não sai em menos de 60 dias.

Segurança
Trabalho extra

Boe_07.jpg

É uma norma da Fifa: a segurança dos torcedores dentro dos estádios deve ser feita por empresas privadas. O Ministério da Justiça, a par da exigência, vai treinar pessoas para a realização da missão, em geral  aproveitando policiais aposentados. Os primeiros cursos de capacitação acontecerão ainda este ano.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.