Eleições 2010

O jatinho de cada um

A campanha presidencial mal começou, mas os principais candidatos já voaram o suficiente para dar mais de sete voltas em torno da Terra

O jatinho de cada um

chamada.jpg
ESCOLHA
Quem atender melhor será contratado por Dilma em julho

selo.jpg

A campanha ao Palácio do Planalto começa oficialmente neste final de semana, com as convenções partidárias confirmando o nome dos presidenciáveis que já andam em busca de votos pelo País. Nesta corrida, que por lei ainda nem se iniciou, porém, os três principais candidatos já voaram o suficiente para dar 7,5 voltas em torno da Terra, considerando-se o diâmetro do planeta. No ar, eles percorreram 90.820 quilômetros desde abril, quando a pré-campanha deslanchou, por causa da desincompatibilização de cargos. Para agilizar seus deslocamentos, Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) contrataram serviços de táxi aéreo que custam em média R$ 35 por quilômetro voado. Incluído o desconto de 25% dado pelas companhias aéreas para o chamado pacote fechado, Serra e Dilma, juntos, já gastaram mais de R$ 2 milhões com o uso de jatinhos.

O tucano, até agora, é o campeão de viagens. Desde que deixou o governo paulista para se dedicar à campanha, ele percorreu de jatinho 33 trechos entre várias capitais do País, totalizando 38.613 quilômetros. Segundo levantamento feito por ISTOÉ, Serra despendeu pelo menos R$ 1,3 milhão para fazer os trajetos. O jato utilizado pelo candidato do PSDB em seu périplo pré-eleitoral é um Learjet-60. Embora a aeronave seja de propriedade do ex-deputado federal e ex-banqueiro Ronaldo Cezar Coelho (PSDB-RJ), amigo de Serra, o aluguel é pago para a operadora de táxi aéreo que administra o frete do jato, a OceanAir. Os assessores da campanha do PSDB não confirmam nem desmentem os custos. “Tudo será registrado na prestação de contas do TSE”, assegura o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE).

img1.jpg
AMIGO
Serra freta o avião do ex-deputado Cezar Coelho

Por enquanto, Dilma gastou um ­pouco menos do que o adversário do PSDB com transporte aéreo. Desembolsou R$ 867 mil para percorrer 28 trechos. No total, voou 24.769 quilômetros, desde a sua desincompatibilização, na segunda quinzena de abril. Para cumprir a rotina intensa de viagens da ex-ministra, o PT aluga jatinhos executivos de duas empresas: TAM e Líder Táxi Aéreo. O modelo mais utilizado por Dilma até agora é o Citation, da TAM, com capacidade para seis pessoas. De acordo com o partido, a empresa que atender melhor às necessidades da candidata será contratada a partir de julho. “Ainda não batemos o martelo”, diz o presidente do PT, José Eduardo Dutra.

Com estrutura menor e caixa mais limitado que o PSDB e o PT, a candidata do PV, Marina Silva, fez 95% de seus deslocamentos em aviões de carreira. Mas, para cumprir alguns compromissos de campanha a contento, não teve como abrir mão do jatinho. A aeronave usada por Marina, um Legacy de fabricação da Embraer, pertence ao empresário Guilherme Leal, dono da Natura e vice na chapa do PV à Presidência. “Mas o jato só foi utilizado em 1% das viagens. Os outros 4% correspondem ao uso de aviões fretados”, esclarece a assessoria de imprensa do PV. O custo do jatinho da Natura, diz Marina, será registrado na prestação de contas eleitorais como doação de Leal ao partido. Desde abril, Marina percorreu 27.438 quilômetros a bordo de aviões. Se a senadora tivesse utilizado os serviços de táxi aéreo em todas as suas viagens pelo País, ela teria gasto o equivalente a R$ 960 mil.

img.jpg
ECONOMIA
Marina fez 95% das viagens em voos comerciais

Os cálculos de ISTOÉ foram feitos com base em informações das empresas aéreas. O custo médio do trecho Brasília-São Paulo pela TAM, ­OceanAir e Líder Táxi Aéreo é de R$ 40 mil para um único voo. De acordo com as empresas, o preço pode baixar cerca de 25% no caso de contratos longos. Ou seja, os 873 quilômetros – distância aérea entre a capital do País e São Paulo – custam em torno de R$ 30 mil para os candidatos do PSDB, PT e PV, o que totaliza R$ 35 por quilômetro voado.

A dianteira de Serra no gasto com o aluguel de jatos pode ser explicada pelo fato de ele ter privilegiado o Nordeste em sua rota de voo nos primeiros meses de campanha. Por exemplo, apenas o trecho São Paulo-Pernambuco (2.129 quilômetros pelo ar), que Serra percorreu de jatinho pelo menos duas vezes no mês de maio, tem um custo total de R$ 75 mil. Sua ida ao Rio Grande do Norte foi ainda mais dispendiosa: R$ 80 mil. Já a candidata do PT preferiu a rota Sudeste-Sul e, por isso, desembolsou menos. A julgar pelos recentes números das pesquisas de intenção de voto, os próximos planos de voo da campanha não serão muito diferentes dos realizados até agora pelos candidatos. Enquanto Serra tem que dar ênfase ao Nordeste, Dilma deve dirigir seus esforços para atrair mais votos no Sul e no Sudeste.

G_Viagens_Politicos.jpg