Medicina & Bem-estar

No ritmo do bem-estar

Academias aderem ao wellness, um conceito que privilegia as emoções em vez da busca exclusiva do corpo perfeito

Setembro pode ser um ótimo mês para realizar o projeto de praticar uma atividade física. Pela proximidade do verão, as academias lançam nessa época suas aulas e aparelhos cheios de atrativos. Este ano, as novidades chegam alinhadas com a onda wellness, um conceito que começa a tomar conta do mundo da malhação. A palavra, de origem inglesa, significa bem-estar. E sobre ela recaem as esperanças do setor de atrair quem se mantém afastado dos templos do culto ao corpo. O objetivo é transformar as academias em centros também de culto à mente. Locais onde as pessoas relaxam, ganham maior conhecimento corporal e até se exercitam. É a troca do pula-pula de movimentos repetitivos por atividades mais tranqüilas que propiciam o tão almejado bem-estar.

O resultado são aulas que misturam ioga, pilates, dança, meditação e atividades na água. No Rio de Janeiro, uma das novidades do Espaço Stella Torreão é o Hidro-Pilates. A aula une propostas do método – famoso pelos exercícios de movimentos lentos feitos com alta disciplina – com controle da respiração dentro da piscina. A Ecofit, em São Paulo, trabalhou com os elementos para formular a HidroYoga. Mas dá para fazer ioga embaixo da água? “Escolhemos algumas posições, como manter-se em pé com os braços para cima, para trabalhar alongamento e respiração. O benefício é o relaxamento”, diz a professora Michele Claro. A Ecofit já se define como um centro de bem-estar em vez de academia.

Na rede paulista Biorritmo uma das soluções foi incrementar o pilates, adicionando uma bola de silicone, mais leve. O trabalho chama-se Overball e exige ainda mais concentração. “Nossa opção é renovar sem descaracterizar as atividades”, explica Nani Dantas, responsável pela criação de atrações. Nessa mesma linha, a academia lançou a Iogaterapia, montada com posições tradicionais da filosofia indiana e meditação. Confirmando o novo apelo, o estabelecimento lançou no começo do mês uma campanha se vendendo como um lugar para relaxar. “A pessoa não precisa ganhar músculos, por exemplo, para se sentir melhor. O ganho pode estar na melhora do equilíbrio emocional”, diz Caio Correia, da Competition, em São Paulo, que também aderiu à moda do bem-estar.

A onda wellness é tão forte que a Estação do Corpo, no Rio, criou há dois meses um programa chamado Personal Emotions para ajudar quem não consegue atingir os objetivos na malhação. A indústria de aparelhos também aderiu. Há inclusive uma esteira ergométrica batizada de Wellness TV. Ela possui um sistema de ventilação com aromas de flores do campo, laranja e limão. Durante o exercício, pode-se imaginar que se está num campo verdejante.