Gente

“Que esquerda?”

De Frei Betto, sobre os últimos capítulos da crise política: "Assim como estamos todos indignados com a corrupção que assola o país, devemos estar também quando, em nome de coibi-la, são cometidas injustiças

“Que esquerda?”
De Frei Betto, sobre os últimos capítulos da crise política: “Assim como estamos todos indignados com a corrupção que assola o país, devemos estar também quando, em nome de coibi-la, são cometidas injustiças. Até juízes do STF se indignaram, embora eu defenda que juiz daquela corte deve fazer voto de silêncio fora do tribunal.” Para o frade e escritor,  a Lava Jato instiga a polarização. “Embora seja necessária e tenha todo meu apoio, discordo de certos métodos espetaculosos.” Para ele, não há projeto político para o país. “Daí essa gritaria na casa da mãe Joana.” Frei Betto só vê crescer o discurso do ódio. “O debate político cai para o emocional. Não se cuidou de politizar a nação nesses 12 anos de governo do PT. Criou-se uma nação de consumistas. Agora as pessoas têm raiva porque já não podem tirar férias no exterior, viajar de avião, sair do shopping ensacolados…Perguntado sobre o futuro da esquerda no país, ele responde com outra indagação: “Que esquerda? Se encontrá-la, me envie o endereço.”
 
2Gente.jpg