Comportamento

Espumante Na Areia

A moda de tomar a bebida na praia faz sucesso no Sul e irá para o resto do Brasil

Espumante Na Areia

chamada.jpg
NO SOL
Em quatro praias de Florianópolis vende-se espumante

Nas praias, tem gente que prefere beber água, outros optam por coco, há quem prefira refrigerantes e uma vasta multidão gosta mesmo é de cerveja. Até agora, não se via espumante nas areias escaldantes. Desde o mês passado, porém, esse tipo de bebida ganhou a chancela do verão. Carrinhos semelhantes aos de picolé percorrem quatro praias de Florianópolis, entre elas a badalada Jurerê Internacional, vendendo o vinho com borbulhas – ou espumante. A previsão da fabricante Miolo, a primeira a explorar esse nicho, é chegar ao litoral do Rio de Janeiro, de São Paulo, da Bahia e de Pernambuco em breve. Desses quatro Estados, as praias cariocas devem ser as primeiras a receber a novidade, já no próximo mês. O objetivo da vinícola gaúcha é mudar o costume de tomar espumante apenas em ocasião especial. Ela quer difundir a ideia de que a bebida pode, sim, ser consumida na areia – mas de forma chique, claro: em tacinhas. Sim, elas são de plástico, mas o material não muda o sabor da bebida. O que não pode é tomála em copinhos descartáveis de água. “O espumante não é só para celebrações, ele tem tudo a ver com praia. Geladinho, é muito refrescante”, diz o gerente de marketing do Miolo Wine Group, Carlos Eduardo Nogueira.

img.jpg
FRIO
Os carrinhos são climatizados para a bebida ser servida a 5ºC

“O espumante já foi um produto caro. Não é mais”, acrescentou. De fato, o hábito de degustar a bebida com mais regularidade, de dia e de noite, comum em outros países, inclusive na vizinha Argentina, está se firmando aos poucos no Brasil. Nas praias do Mediterrâneo, ver alguém com uma taça na mão e os pés na areia não é uma cena incomum. A moda começa a pegar por aqui. Nos primeiros 15 dias em que os carrinhos percorreram Florianópolis, foram vendidas três mil garrafas de 250 ml, a R$ 10 cada uma. Duzentas garrafas por dia pode parecer pouco, mas, levando- se em conta que a bebida ainda tem esse “quê” de festa, o resultado é comemorado pelo fabricante. Para chegar em condições perfeitas às mãos de quem está se bronzeando no sol, alguns cuidados são essenciais. A carrocinha deve ser climatizada para garantir a temperatura da bebida, que deve ser consumida bem gelada, em torno de cinco graus. Para evitar acidentes, a garrafa do vinho com borbulhas – a linha servida é a Terranova, nas versões Brut (seco) e Moscatel (suave) – fica com o vendedor. Ao consumidor cabe, após degustar o espumante, jogar as tacinhas no lixo para não aumentar a poluição nas já sujas areias do litoral brasileiro.

img2.jpg

Tópicos

champagne praia verao