Edição nº2488 18.08 Ver edições anteriores

“Voltar às novelas está na minha natureza”

A contagem regressiva para Fábio Assunção retornar às novelas está perto de terminar. Longe dos folhetins há sete anos, o ator está em negociações avançadas para acertar sua volta como protagonista em uma novela das 19h

 A contagem regressiva para Fábio Assunção retornar às novelas está perto de terminar. Longe dos folhetins há sete anos, o ator está em negociações avançadas para acertar sua volta como protagonista em uma novela das 19h, ainda sem título. Logo que encerrar em julho a quinta temporada do seriado “Tapas e Beijos”, Fábio estará à disposição da direção artística da Globo para estrear no segundo semestre ou no começo de 2016. Seu último trabalho foi em 2008, na novela Negócio da China (2008).

Pic_Gente.jpg

ISTOÉ – O que significa voltar às novelas? 
Fábio Assunção –
 Voltar às novelas é dar continuidade ao meu trabalho em televisão iniciado em 1990. Estou animado. Terão sido cinco temporadas até o meio deste ano e infelizmente nosso “Tapas e Beijos” chega ao fim. O programa é um sucesso e fico feliz em fazer parte dele. Todos merecem reconhecimento: elenco, equipe, direção e autores. Uma turma de peso. Mas voltar às novelas está na minha natureza.

ISTOÉ – Você teria sido cotado para ser protagonista da novela “Favela Chique” ou de uma novela das sete. Que convite aceitou?
Fábio –
Estarei em uma novela sim, assim que terminar “Tapas e Beijos” no meio deste ano. Haverá divulgação na época, mas não será na novela “Favela Chique”.

ISTOÉ – Como será o desafio de dirigir a peça “Dias de Vinhos e Rosas”? 
Fábio – 
Minha responsabilidade na direção é encontrar o tom das interpretações junto aos atores. Unir a trilha sonora, a arte, cenografia, iluminação, figurino numa mesma linguagem e escolher um estilo de comunicação com o público. “Dias de Vinho e Rosas” terá uma interpretação realista e a montagem acompanhará e apoiará os atores, resultado do trabalho de uma equipe incrível composta por Clara Carvalho na tradução e preparação dos atores, Egberto Gismonti na trilha sonora, Caetano Vilela na luz, Fabio Namatame na arte e figurino além, claro, dos atores Daniel Alvim e Carolina Mânica. Minha assistência na direção é tarefa de Maristane Dresch. Sou produtor da peça em sociedade com nosso diretor de produção Edinho Rodrigues e com nossa atriz Carolina Mânica. Recebi este texto em 2013.

ISTOÉ – Por que escolheu essa peça?
Fábio – 
Escolhi esta peça por acreditar ser um tema atual e de importante discussão: o alcoolismo. Nossa peça narra uma linda história de amor que ao longo de 9 anos é minada pela dependência das personagens ao álcool. É forte dramaturgicamente. Foi um clássico feito no cinema em 1962 com os atores Jack Lemmon e Lee Remick. 

ISTOÉ – Você se arriscaria como diretor de tevê ou de cinema? 
Fábio – 
Gosto de dirigir equipe pequena, seguir minha intuição sem amarrações com o mercado. Talvez um dia me arrisque a dirigir nessas áreas se eu tiver independência.

ISTOÉ – Que personagem ainda não fez e gostaria de fazer? 
Fábio –
 Não tenho isso, não. O que vier de bom eu traço.

ISTOÉ – Tem algum sonho a realizar? 
Fábio – 
Preciso criar novos sonhos. Quando eles aparecerem vocês saberão.  

A gata do Pato

GENTE_02.jpg

 

O clique de J.R. Duran diz tudo: ela é uma gata que conquistou Pato. O mais curioso é que tudo aconteceu por causa de dois cachorros. Histórias como o inusitado começo do romance com o jogador Alexandre Pato, a atriz Fiorella Mattheis conta com exclusividade no ensaio de capa para a última edição da revista IstoÉ Gente. O editorial é de Duran com direção criativa de Luis Fiod na last issue da publicação, que chega às bancas na quarta-feira 12. 

Pegadinha por uma boa causa

01.jpg

A pegadinha foi planejadíssima e guardada a sete chaves por cinco meses. O vídeo íntimo de Sabrina Sato vazado na internet bolado pela agência Leo Burnett era uma ação comercial do absorvente “Always” abrançando a causa da campanha #juntasContraVazamentos. Só no Brasil, a Safernet contabilizou em 2014 224 casos de imagens vazadas na rede, tendo mulheres como principais vítimas. O relato de desaparecimentos e depressão de meninas sensibilizou Sabrina. “Confesso que fiquei espantada pelos números”, diz ela. Mais de nove milhões de pessoas foram alcançadas até agora no viral, que teve cerca de três milhões de visualizações.

Novo show da Xuxa 

IEpag58e59Gente-2.jpg

Foi um verdadeiro show da Xuxa ao vivo. Da aterrissagem em São Paulo em seu avião à chegada à Record para a assinatura do contrato com a emissora, Xuxa Meneghel marcou com arrebatamento sua chegada à nova casa. “Sou turrona para mudar. Com certeza serei feliz”, disse a “Rainha dos Baixinhos” em um auditório, diante de 80 fãs selecionados, funcionários e da diretoria. Na porta da emissora, uma multidão. Houve gente que esperou até 14 horas para vê-la passar. O novo programa diário, que Xuxa duvida que estreie em dois meses como quer a emissora, será inspirado no formato do “Ellen DeGeneres Show”, programa de auditório norte-americano da rede NBC.

Bala

O ator e os analistas
A performance do ator ZéCarlos Machado, conhecido por interpretar o terapeuta Theo Cecatto na série “Sessão Terapia”, do GNT, foi o ponto alto da noite de debate e relançamento do livro “Da Palavra ao Gesto do Analista”, do psicanalista Jorge Forbes, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi em São Paulo. No debate, Forbes, a psicanalista Claudia Riolfi e o jornalista Rodrigo de Almeida discutiam como a palavra afeta o corpo. E o ator demonstrou como monta seus personagens a partir da palavra e de que maneira um texto passa pelo corpo. No auditório, ele causou comoção ao se levantar e demonstrar o andar envergonhado de um pedófilo, em referência ao seu monólogo “Brincando com o Sanduíche”.

Fotos: Bob Wolfenson (Fábio Assunção); J.R. Duran (Fiorella Mattheis); divulgação (Sabrina Sato); Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Folhapress, divulgação (Xuxa)
 


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.