Medicina & Bem-estar

Treinos turbinados

Equipamentos que simulam a prática de esportes e permitem o treinamento de vários grupos musculares ao mesmo tempo, com maior controle dos movimentos e menor risco de lesões, são as novidades que estarão nas academias na próxima temporada

Treinos turbinados

INOVAÇÃO

Uma nova geração de equipamentos irá mudar a face dos treinos nas academias a partir dos próximos meses. São aparelhos que, entre outras inovações, privilegiam a execução de movimentos mais globais – e não mais focados apenas em um ou dois grupos musculares –, proporcionam maior controle dos movimentos e colocam níveis de desafios mais sofisticados para os praticantes de atividade física. As novidades foram apresentadas durante a última edição da IHRSA Fitness Brasil, feira realizada recentemente em São Paulo. Uma das mais tradicionais do setor, ela é conhecida por apresentar o que há de mais importante em tendências para a área. O que é mostrado por lá normalmente desembarca nas academias rapidamente.

TREINOS-01-IE-2338.jpg
VELOCIDADE
Esteira que simula subidas pode ser usada por ciclistas
para treinos mais intensos e rápidos

A esteira Hi-Tech foi um dos aparelhos que mais despertaram a atenção. Ela simula subidas e descidas – coisa que a maioria já proporciona, é verdade – e permite que o praticante corra de costas. Além disso, pode ser usada por cadeirantes e também por ciclistas, pois sua velocidade chega a 80 km/h. Normalmente, a bicicleta pode alcançar até cerca de 50 km/h. “A esteira que simula subidas e descidas (acima) e outros novos aparelhos trazem muita versatilidade para o treinamento cardiorrespiratório”, afirma Tavicco Moscatello, diretor pedagógico da Fitness Brasil, empresa organizadora da IHRSA.

Nessa mesma linha há também o E-glide, um equipamento de spinning em pé. Na verdade, trata-se de uma mistura da conhecida bicicleta de spinning com elíptico. O treino nesse aparelho oferece uma intensidade consideravelmente maior do que na bike comum. Porém, uma das vantagens que mais agradam é a de proporcionar movimentos mais amplos do que no spinning tradicional, com menos riscos de lesões. Conta também a favor do novo equipamento o fato de exigir o trabalho de outros grupos musculares, como os usados para sustentar a posição em pé (das costas e quadril). O recurso pode ser usado tanto nas aulas de spinning como nos modelos circuito, no qual o aluno passa por diversas estações com um tipo diferente de exercício.

TREINOS-02-IE-2338.jpg
"Os novos aparelhos trazem muita versatilidade para
o treinamento cardiorrespiratório"
Tavicco Moscatello, diretor pedagógico da Fitness Brasil

Outra tendência de fôlego são os aparelhos que imitam a prática de esportes. Podem ser usados isoladamente, como é o caso do simulador de esqui, ou em aula, a exemplo da proposta que une o equipamento water rower com o treino intervalado de alta intensidade. No simulador, a ideia é possibilitar que o praticante trabalhe glúteos, abdome e coxas, gastando em torno de 800 calorias por hora. Já com o equipamento que permite a execução de movimentos do remo, o objetivo é utilizá-lo como mais um recurso para os treinos nos quais a intensidade é alternada. Entre outras coisas, ele possui um reservatório de água para possibilitar uma simulação precisa do movimento da remada.

abre.jpg
INOVAÇÃO
O simulador de esqui e a prancha com rodas semelhante ao skate atraem
pela novidade e proporcionam alta queima calórica e resultados mais rápidos

TREINOS-04-IE-2338.jpg

A ênfase em proporcionar o treinamento de movimentos que integrem grupos musculares também se traduz nas novas aulas a serem adotadas nas academias. Algumas foram apresentadas durante o 16º Congresso Internacional SM Fitness & Wellness, no Rio de Janeiro. Uma delas é o Funcional Board Fitness. O aluno precisa fazer movimentos se equilibrando sobre uma prancha de madeira coberta por material emborrachado, com quatro rodas articuladas em sua parte inferior. Assemelha-se a um skate e aguenta até 120 quilos. “A principal vantagem da prancha instável é que força a ativação da região central do corpo e o equilíbrio, tornando os exercícios mais difíceis. O aluno tem maior gasto calórico e um resultado mais rápido”, afirma o professor de educação física Fernando Fonseca, entusiasta da modalidade. Em aulas de 30 a 40 minutos, é possível perder 880 calorias (homens) e 580 (mulheres).

IEpag75_Turbinados.jpg