Brasil

O bunker da calúnia

Segundo investigação do Ministério Público, a Prefeitura de Guarulhos, além de utilizar computadores para denegrir a imagem do senador Aécio Neves, tem financiado blogs e sites para promover o jogo sujo digital contra o PSDB e seu candidato ao Planalto

O bunker da calúnia

A campanha presidencial não começou oficialmente, mas o Ministério Público de São Paulo já investiga a existência de um possível bunker instalado na Prefeitura de Guarulhos, administrada pelo PT, com o propósito de disseminar calúnias contra o senador mineiro Aécio Neves (PSDB), rival da presidenta Dilma Rousseff na corrida pelo Palácio do Planalto. O bunker de Guarulhos, segundo as investigações dos procuradores, estaria financiando – por meio de publicidade oficial – publicações, blogs e perfis nas redes sociais dedicados a atacar Aécio não pela crítica política, mas com acusações pesadas de foro pessoal.

abre.jpg
A prefeitura de Guarulhos montou um núcleo de ataques ao PSDB
que remonta à eleição municipal de 2012

Atendendo a pedido dos advogados do PSDB, a Justiça obrigou provedores de internet a divulgar o endereço dos dispositivos eletrônicos usados para caluniar o candidato tucano. A quebra do sigilo identificou que grande parte das ofensas saía de computadores vinculados à Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Guarulhos. Em 20 dias, dispositivos usados por servidores do município fizeram 81 atualizações de mensagens caluniosas. Uma das funcionárias, Nataly Galdino Diniz, foi exonerada após o flagrante. ISTOÉ apurou, no entanto, que a utilização do prédio e o recrutamento de funcionários públicos para a guerra virtual contra o PSDB são apenas a ponta do novelo de um esquema mais amplo.

O Ministério Público de São Paulo identificou o repasse de verbas de publicidade da Prefeitura de Guarulhos para sites que se dedicam a criar conteúdos altamente ofensivos contra os tucanos. Uma das publicações investigadas pelo MP é o Blog da Cidadania, editado pelo militante petista Eduardo Guimarães. No mesmo espaço em que enaltece “moradias entregues para famílias de baixa renda” em Guarulhos e exibe um banner da prefeitura da cidade, Guimarães usa palavras ofensivas para atacar a imagem de integrantes do PSDB. Seu alvo preferencial é o senador mineiro. Em publicação replicada por 652 internautas, o blogueiro mostra um vídeo em que o senador dá gorjeta a um garçom em um tradicional bar do Rio de Janeiro. Abaixo do vídeo, ele escreve um texto repleto de acusações caluniosas ao tucano. “Senador-playboy mineiro” é a mais branda delas. Também investigada pelo Ministério Público, a revista “Fórum” repete em seu portal a dinâmica de ataques ao PSDB. Com destaque, a revista replicou a opinião de um blogueiro que insinua envolvimento do senador do PSDB com entorpecentes. A revista “Fórum” pertence ao petista Renato Rovai, um dos ativistas do PT na internet, e seu conteúdo é amplamente disseminado nas redes sociais. Pelo menos 267 mil internautas acessam diariamente textos produzidos pela publicação e sua equipe de blogueiros. Assim como o Blog da Cidadania, a “Fórum” faz publicidade institucional para a Prefeitura de Guarulhos, flagrada como central da guerrilha digital petista. Os cabeçalhos da publicação na internet, com a campanha “Olha Guarulhos avançando”, são repetidos em todas as páginas do portal. De acordo com o MP, pelo menos mais dez blogs espalhados pela internet adotariam a mesma sistemática de ataques a Aécio e ao PSDB, com o patrocínio da Prefeitura de Guarulhos. “Menções a atividades genéricas da prefeitura servem apenas para dar uma fachada de legalidade e garantir os pagamentos feitos pela municipalidade”, afirmou um dos promotores ouvidos por ISTOÉ.

BUNKER-03-IE-2323.jpg
O ex-secretário de comunicação de Guarulhos Justino Pereira (acima)
foi o mentor dos ataques e o casal Tiago Albuquerque e Nataly Galdino,
os braços operacionais. Na última semana, Nataly foi demitida
por utilizar computadores da prefeitura para caluniar Aécio

BUNKER-02-IE-2323.jpg

A investigação do Ministério Público que apura a existência do bunker da calúnia em Guarulhos teve início na Prefeitura de Rio Claro, quando a vice-prefeita Olga Salomão (PT) foi acusada de reajustar e prorrogar, irregularmente, contratos da agência PG Comunicação. A agência é a mesma que prestava serviços à Prefeitura de Guarulhos e que após a quebra do sigilo – revelado na semana passada – teve seus endereços eletrônicos vinculados a perfis falsos que denegriam a imagem de Aécio. “Usaram o município como uma central. Comunicação virou prioridade. O prefeito passou a remanejar dinheiro de investimentos em obras para a comunicação”, resume o líder da oposição na Câmara de Guarulhos, Geraldo Celestino (PSDB). As cifras orçamentárias reforçam as suspeitas. Até 2013, a Prefeitura de Guarulhos destinava R$ 4,5 milhões em recursos para pagar a PG Comunicação pelos serviços de publicidade de interesse público. Em ano eleitoral, a rubrica de propaganda cresceu. Este ano, a prefeitura reservou R$ 20 milhões para ações de publicidade e já gastou R$ 10,9 milhões do total. De acordo com o MP, pelo menos 10% desse montante seria usado para financiar blogs de ataques ao candidato do PSDB ao Planalto. ISTOÉ entrou em contato com o blogueiro, com a revista “Fórum” e com a prefeitura questionando o montante pago em publicidade, mas não recebeu resposta até o fechamento desta edição. Apenas no mês de maio, porém, o blogueiro Eduardo Guimarães recebeu pelo menos R$ 5,5 mil da Prefeitura de Guarulhos, segundo nota fiscal à qual ISTOÉ teve acesso.

01.jpg

Não seria a primeira vez que o PT transformaria a Prefeitura de Guarulhos numa central dedicada a caluniar adversários políticos. O jogo sujo eleitoral começou há dois anos. Durante a campanha de 2012, um dos integrantes do bunker foi condenado pela Justiça Eleitoral a pagar multa de R$ 5 mil por divulgar na internet um vídeo e mensagens de Facebook com informações falsas sobre o então candidato a prefeito pelo PSDB, Carlos Roberto. Trata-se de Tiago Albuquerque, marido de Nataly Galdino Diniz, a funcionária demitida na última semana, depois de ter sido flagrada utilizando os computadores da Prefeitura de Guarulhos para espalhar calúnias contra Aécio. Albuquerque e sua mulher, no entanto, de acordo com o MP, são apenas o braço operacional da guerrilha digital. Albuquerque e Nataly foram recrutados por Justino Pereira, ex-secretário de Comunicação de Guarulhos, este sim o responsável por montar o núcleo de difamação contra os tucanos. Pereira tem experiência na área. Militante histórico do PT, ele foi funcionário do Banespa e iniciou sua atuação política no sindicato dos bancários. Formado em jornalismo pela Fundação Cásper Líbero, atuou como coordenador de publicidade da Prefeitura de São Paulo na gestão de Marta Suplicy. No dia 14 de março deste ano, Pereira trocou a Secretaria de Comunicação de Guarulhos – onde atuou nas gestões dos petistas Elói Pietá e Sebastião Almeida – por um cargo na Prefeitura de São Paulo. “O Justino Pereira é o mentor da comunicação do PT em Guarulhos. Esse grupo foi idealizado por ele”, acusa Geraldo Celestino.

02.jpg

Fotos: João Castellano/Ag. Istoé