A semana

Não é só o peixe que “morre pela boca”

Não é só o peixe que “morre pela boca”

José Paulo Carvalho de Oliveira é vereador (PT do B) na cidade fluminense de Piraí. Tivesse ele gesticulado e esbravejado ao defender o projeto de lei que proíbe mendigo de votar, poderia se imaginar que tudo não passara de uma encenação para gerar mídia. Mas o tom sereno e baixo com que Oliveira falou mostra que ele acredita no que diz. E eis o que disse na sessão em que a Câmara homenageava a Constituição do País: “Mendigo não tem que votar. Mendigo não faz nada na vida (…) aliás, eu acho que mendigo deveria até virar ração para peixe.” Diante da repercussão negativa Oliveira percebeu que, assim como peixe, também vereador pode “morrer pela boca”. E correu a se desculpar: “Errei”.