Comportamento

Palácio de Versace vai a leilão

US$ 25 milhões. Esse é o lance mínimo para adquirir a mansão, em Miami, onde o estilista italiano viveu por cinco anos e recebeu celebridades como Madonna e Lady Di até ser assassinado em 1997

Palácio de Versace vai a leilão

ESPLENDOR

Conheça, em vídeo, a mansão Casuarina:

versace_site.jpg

A mansão Casuarina, uma das propriedades mais extravagantes da Ocean Drive, a badalada avenida à beira-mar de Miami Beach, nos Estados Unidos, entrou para a história por ter sido palco de uma das maiores tragédias do mundo da moda: o assassinato do estilista italiano Gianni Versace pelo gigolô Andrew Cunanan, com dois tiros na nuca, em julho de 1997. Até o desfecho dramático, o designer viveu cinco anos na residência de 2,1 mil metros quadrados, cenário de festas regadas a glamour, com muitos convidados famosos, como a princesa Diana (1961-1997) e os cantores Madonna, Cher e Elton John. Esse excêntrico palácio, repleto de obras de arte, deve ser leiloado em setembro, com lance inicial de US$ 25 milhões. “É um privilégio poder negociar a venda de uma propriedade única como essa”, afirma Lamar Fisher, presidente da Fisher Auction Company, empresa americana responsável pelo leilão. “Esperamos atrair compradores do mundo todo.”

chamada.jpg
ESPLENDOR
O estilista Gianni Versace comprou a mansão Casuarina em 1992 e
gastou US$ 33 milhões na reforma, que incluiu os 11 quartos temáticos
(um deles, abaixo), o pátio interno (acima) e uma imponente fonte com mosaicos (abaixo)

IEpag72e73_Versace_(c1)-2.jpg
GLAMOUR
Os irmãos Donatella e Gianni Versace com o cantor
Elton John (ao centro): festas recheadas de astros internacionais

O palácio da Ocean Drive data de 1930, e foi comprado por Versace por US$ 2,5 milhões, em 1992. Na época, o estilista gastou cerca de US$ 33 milhões na reforma, que incluía pintura de afrescos nos 11 quartos temáticos, a inclusão de torneiras de ouro e vasos sanitários de mármore nos dez banheiros rococós e a decoração com estátuas de mármore. O intuito do italiano era que a mansão ficasse parecida com o Alcazar de Colombo, o palacete onde viveu a família do desbravador Cristóvão Colombo. Logo na entrada, uma imponente fonte recebia os hóspedes. Era o prenúncio do que estava por vir. Nos ambientes comuns, tapetes exóticos, em contraponto com as cortinas e almofadas no estilo art déco, traduziam a personalidade ousada de Gianni Versace. O pátio externo, por exemplo, foi desenhado pelo próprio designer, inspirado em uma villa italiana. O local ostenta um belo jardim de palmeiras que contorna a piscina de 16 metros de comprimento, como mosaicos ao fundo e detalhes em ouro 24 quilates. Mas o grande destaque é mesmo o mosaico central do pátio, onde tipos diferentes de pedras se uniram para dar forma à gravura da famosa medusa que até hoje é o símbolo da Maison Versace.

01.jpg

Com a morte do estilista, o palacete virou um ponto turístico, atraindo anualmente milhares de pessoas ansiosas por tirar uma foto do local onde Versace foi assassinado à queima-roupa. Também se transformou em um famoso reduto gay em South Beach. As escadarias do casarão, que se destaca em meio aos restaurantes, bares e lojas da avenida Ocean Drive, foram por tempos um ponto de encontro de homossexuais. No ano 2000, um empresário local, o americano Peter Loftin, comprou a propriedade por US$ 19 milhões e a transformou em um clube privativo para abonados, mas o empreendimento não vingou. Meses depois, com a consultoria do restaurateur Barton G.Weiss, dono do Barton G. The Restaurant e do Prelude, dois nomes consagrados em Miami, a Casuarina deu origem ao novo hotel butique de luxo, o The Villa By Barton G., membro da rede Leading Hotels of the World. Para se ter uma ideia, as diárias começavam em US$ 2,1 mil e as suítes disponibilizavam o exclusivo serviço de concierge inglês. A antiga sala de jantar do designer virou um restaurante aberto somente aos hóspedes, que degustavam iguarias na louça chinesa azul-turquesa da qual o estilista tanto gostava. O hotel também não prosperou e, em junho do ano passado, a mansão foi colocada à venda por US$ 125 milhões, valor que, poucos meses depois, foi reajustado para US$ 75 milhões. Ainda assim, o imóvel não despertou o interesse de compradores. A esperança segue agora para o leilão de setembro.

Fotos: Divulgação; FileAndrew Savulich/AP Photo