A semana

Parente não é suplente

Parente não é suplente

Não há que se elogiar a atitude de senadores que voltaram atrás em uma decisão já tomada somente porque a sociedade protestou. Há, isso sim, que se lamentar o fato de o Senado ter de voltar atrás porque tentou mais uma vez legislar apenas para o próprio umbigo. Na terça-feira 9 os senadores haviam derrubado a PEC que os proibia de colocar parentes como seus suplentes. Cabe lembrar que os suplentes são “eleitos” sem um voto sequer e que hoje 16 deles ocupam cadeiras no Senado. Mas mídia e instituições denunciaram na hora a vergonhosa votação (senadores escaldados têm medo do “vem pra rua”) e uma pesquisa divulgada pela fundação Transparência Internacional constatou que 72% dos brasileiros acham que o Congresso Nacional é “corrupto ou muito corrupto”. Na quarta-feira 10 os senadores correram para voltar atrás: aprovaram projeto que determina que parente não pode ser suplente e que o número de suplentes passa de dois para um. Um remendo insuficiente para dar respostas à sociedade.