Em Cartaz

Todo aquele soul

Dono de uma interpretação emotiva no estilo dos soul men do passado, o cantor americano Charles Bradley corre o risco de ser ouvido como mero reciclador

Todo aquele soul

Ouça "Confusion":

 

 

 

CARTAZ-07-IE-2278.jpg

Dono de uma interpretação emotiva no estilo dos soul men do passado, o cantor americano Charles Bradley corre o risco de ser ouvido como mero reciclador. Sua idade – 65 anos – prova que ele poderia ter sido contemporâneo de astros como Otis Redding ou James Brown. Brown, aliás, foi quem o levou à música quando o assistiu no auge da juventude no Apolo Theater, no Harlem. Descoberto pelas gravadoras apenas há dois anos, Bradley chega ao segundo trabalho, “Victim of Love”, com a força de um verdadeiro fenômeno da música negra. Vai do funk (“Confusion”) à balada (“Crying in the Chappel”) como se fizesse parte da melhor fase da gravadora Motown.

CARTAZ-CD.jpg