Em Cartaz

O traço da nova geração de desenhistas

Passados aproximadamente 100 anos do lançamento de "Tico-Tico", a primeira HQ brasileira, em 1905

O traço da nova geração de desenhistas

CARTAZ-09-IE-2272.jpg

Passados aproximadamente 100 anos do lançamento de “Tico-Tico”, a primeira HQ brasileira, em 1905, o País vive um boom de jovens criadores de histórias em quadrinhos que têm em comum a inquietação e a liberdade criativa próprias do gênero. Só neste mês foram lançadas três revistas nessa linha de narrativa contemporânea. A “Libre!” é resultado de um projeto coletivo com nomes de vanguarda e está sendo comercializada nas principais capitais. As outras duas, “Intrusa” e “Tension de la Passion”, são do selo Beleléu, exclusivo de humor gráfico que busca o mercado externo com “Tension”, traduzida para o inglês, o francês e o espanhol. A “Intrusa” brinca com as populares séries de romances como “Sabrina” e “Bianca”.

livro_libre.jpg