Brasil

Fax Brasilia

Fax Brasília

Primeiro o anel, depois o dedo

Irritados com a permanência de Élcio Álvares no Ministério da Defesa, os militares já começaram a apontar suas baterias contra a assessora especial do ministro, Solange Antunes, sua sócia no escritório de advocacia. Há poucos dias, ela apareceu numa reunião de oficiais-generais. Imediatamente todos interromperam a discussão e, entre sorrisos, começaram a falar sobre lendas de vampiros. Reservadamente, os militares dizem que estão fartos de vê-la meter-se em assuntos de que não entende. Se quiser permanecer no cargo, Élcio terá que entregar a cabeça da amiga. Um grupo de militares de alta patente procurou interlocutores no Planalto com o seguinte recado: eles não aceitam mais a permanência de Solange Antunes atuando como a manda-chuva do Ministério da Defesa. O recado foi anotado e o próprio FHC tem dito a seus assessores que a moça sairá.

PMDB X PSDB

A informação foi passada ao deputado tucano Alberto Goldman (SP) por um alto funcionário do Ministério do Transportes. Nada será liberado dos R$ 15,8 milhões previstos para o projeto de expansão das linhas de trens metropolitanos de São Paulo, uma das prioridades de Mário Covas. Já para as obras de recuperação do Porto de Santos, alvo dos interesses do PMDB, o Ministério liberará uma parte dos R$ 39 milhões previstos no Orçamento deste ano.

Poços sem fundo

Líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira abraçou a indicação do PMDB cearense para a diretoria geral do Dnocs. Trata-se de José Newton Mamede, atual diretor de Operações. O líder já indicara um amigo íntimo, José Gaspar Uchôa, para diretor regional em Pernambuco. O Dnocs vai dedicar R$ 20 milhões ao Estado no ano 2000, incluindo um projeto de irrigação em Serra Talhada, reduto eleitoral de Inocêncio. O problema é que, segundo o TCU, o orçamento da obra, fixado em R$ 42 milhões, foi superfaturado. Revisto há 15 dias, o custo caiu para R$ 18 milhões. Antes da revisão, o projeto passou pelos dois pupilos de Inocêncio, que nada fizeram.

Vale-tudo com os Farias

O deputado Augusto Farias (PPB-AL) apareceu na CPI do Narcotráfico, na quinta-feira 21, com uma mancha roxa sob o olho direito. Tratava-se mesmo do resultado de um soco. Quatro dias antes, Augusto estava na pérgula do Clube Motonáutica, um lugar frequentado pela elite alagoana adepta de barcos, quando pegou uma latinha de cerveja da bandeja do garçom. O dono da bebida e presidente do Creci local, Leonardo Fortes, protestou e foi agredido pelo deputado, que despejou a cerveja sobre sua cabeça. Fortes reagiu com um golpe certeiro no olho do oponente.

Rápidas

O Banco Central vai retirar-se do mercado de aval para créditos às exportações da Aliança Latino-Americana para o Desenvolvimento e Integração (Aladi). Um filão de R$ 13 bilhões que os grandes bancos privados agora poderão explorar.

Ao contrário do que faz todo ano, dona Marly Sarney não liberou o marido para viajar sozinho aos EUA. Acha que ele anda muito assanhado escrevendo o livro cuja personagem principal é Saraminda, uma gulosa e sensual andarilha dos garimpos.