Brasil

O vôo da sogra

Governador do Ceará aluga jato com dinheiro público e leva família à Europa

O vôo da sogra

JARBAS OLIVEIRA/FOLHA IMAGEM

O IRMÃO DE CIRO Viagem de Cid Gomes por cinco países custou R$ 388,5 mil

A longa temporada de caça aos possíveis sucessores do presidente Lula na base governista – que já abateu José Dirceu, Antônio Palocci e feriu com gravidade Dilma Rousseff – agora atinge de raspão o deputado Ciro Gomes (PSB-CE). O tiro não pegou Ciro, mas seu irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes. No Carnaval, Cid Gomes fretou um jatinho e viajou pela Europa, acompanhado de sua mulher, Maria Célia, de sua sogra, Pauline Carol Moura, e mais alguns assessores, também acompanhados das respectivas esposas. O vôo custou R$ 388,5 mil. A carreira política de Cid Gomes está inteiramente ligada à de seu irmão presidenciável. Foi pelas mãos de Ciro que Cid chegou ao governo cearense. Ciente do potencial explosivo ao ver o nome do irmão envolvido numa denúncia de uso de dinheiro público para financiar mordomias, Ciro esquivou-se de forma curta e grossa de qualquer comentário: “Não estou a fim de falar desse assunto.” O deputado estadual Heitor Férrer (PDT), autor do pedido de informações, desabafou: “Estamos diante não mais da casa da sogra, mas de um verdadeiro governo da sogra.”

A viagem começou no dia 30 de janeiro e estendeu-se até 9 de fevereiro. O grupo esteve em Madri, na Espanha, Londres, na Inglaterra, Edimburgo, na Escócia, Dublin, na Irlanda, e Berlim, na Alemanha. Além do preço do aluguel da aeronave, Cid e seu assessor receberam R$ 13,8 mil em diárias. Segundo o líder do governo na Assembléia Legislativa, Nelson Martins, do PT, tratou-se de uma viagem de trabalho. Cid participou de uma feira de turismo na Espanha e de dois seminários, sobre fruticultura e energias alternativas, na Alemanha e na Escócia, respectivamente. Também teve contatos com organismos como o Banco Mundial, em busca de recursos para o Ceará.

 O jato teria sido alugado porque Cid não conseguiria cumprir em tão pouco tempo a agenda de viagens com vôos comerciais. O que impressiona, porém, é a presença da sogra do governador no tal vôo de trabalho. Em momentos diferentes, Martins tentou justificar a presença. “Ela pagou a despesa dela”, disse, primeiro. “Ela contribui com o Estado”, afirmou, em outro momento. Cid Gomes, em viagem à Ásia na semana passada (desta vez, em vôo de carreira, sem a companhia da mulher ou da sogra), não comentou o caso.