A semana

A mulher que vai casar com o assassino da própria irmã

A mulher que vai casar com o assassino da própria irmã

Blaise Pascal viveu no século XVII e foi um dos maiores gênios que já passaram pelo mundo. Era físico, filósofo, matemático e teólogo. Um de seus pensamentos atravessou os séculos: “O coração tem razões que a própria razão desconhece.” Que o diga a argentina Edith Casas, 22 anos. Ela enfrentou família e amigos, psicólogos e médicos, promotores e juízes para realizar o seu desejo: casar-se com o assassino de sua irmã gêmea. Ele se chama Victor Cingolani e está condenado a 13 anos de prisão. A juíza da cidade de Pico Truncado autorizou o casamento após especialistas atestarem que Edith “não apresenta disfunção mental que lhe impeça de contrair o matrimônio” – quem pediu o exame foi a mãe, duplamente arrasada: primeiro, o assassinato de uma de suas filhas; agora, o casamento da outra filha com o próprio criminoso. Edith diz: “Não vou me casar com o assassino de minha irmã; vou me casar com o homem que eu amo”.