Tecnologia & Meio ambiente

O jogo invade a sala

Novo videogame criado pela Microsoft usará as paredes da casa para colocar o jogador dentro da ação

O jogo invade a sala

ALÉM DA TELA

Assista ao vídeo e confira como esse sistema envolve o jogador:

IstoE_NovoGame_255.jpg

 

 

chamada.jpg
ALÉM DA TELA
O sistema dispensa o uso de óculos ou capacetes especiais

A televisão ficou pequena demais para os desenvolvedores de videogames. Nos últimos anos, empresas como a Sony e a Oculus VR extrapolaram a moldura da telinha com projetos de óculos e capacetes de realidade virtual para games. Agora, com o objetivo de tornar os jogos ainda mais realistas, a Microsoft deu o próximo passo com um projeto batizado de Illumiroom.

O sistema é composto por uma tevê de alta definição, um console, uma câmera de profundidade e um projetor com lente grande-angular capaz de gerar imagens em um campo de visão de 360º. Compõe também o conjunto o Kinect, o sensor de movimentos usado no game Xbox. A câmera analisa as dimensões do ambiente e adapta a projeção das imagens à geometria do cômodo em tempo real, expandindo o campo de visão do jogador.

Em um game com uma cena na neve, por exemplo, é possível projetar imagens de flocos, que parecem cair sobre a sala. Ou, em um jogo de guerra, o usuário pode deparar-se com um inimigo surpreendendo-o pelas costas ou pelos lados. De acordo com a patente registrada pela Microsoft, é possível também que, no futuro, o console projete imagens em 3D.

IEpag86_Games.jpg

“A tecnologia é bacana, mas, para aproveitar todo o seu potencial, é preciso ter um ambiente pensado: a sala não pode ser muito grande, ou as projeções não vão alcançar todo o espaço, e as paredes precisam ser paralelas”, diz André Toyama, desenvolvedor de jogos e professor de games do Instituto de Artes Interativas, em São Paulo.

Segundo o especialista, os games que captam mudanças de posições do corpo, como o Kinect e o Wii, costumam atrair a curiosidade de quem não está habituado a jogar. Já os aficionados não se entusiasmam tanto, já que esse tipo de tecnologia perde um pouco na precisão. “Os consoles podem não interpretar os movimentos de maneira tão precisa quanto os comandos de um joystick”, diz Toyama. Agora, se o Illumiroom incluir a opção de uso de controles, como mostrado no vídeo de divulgação, poderá agradar a gregos e troianos. O mercado especula que a Microsoft deve lançar uma nova versão do seu console de games, o Xbox, ainda neste ano, mas ninguém arrisca cravar que a nova tecnologia fará parte dele. Os jogadores terão bastante tempo para preparar suas salas.