Editorial

A POLÍTICA RENOVADA

A POLÍTICA RENOVADA

Renovação é a nova palavra de ordem na política brasileira após as eleições municipais. No PSDB, com a fragorosa derrota de um dos seus principais quadros, José Serra – que perdeu em São Paulo com rejeição recorde, acima de 53% – o senador mineiro Aécio Neves desponta como o mais destacado e promissor nome a conduzir esse processo renovador. Caberá a ele, como virtual candidato à corrida presidencial de 2014, agregar lideranças em ascensão e consolidar um bloco de oposição que faça jus ao nome. Tarefa que o seu partido, até aqui, não conseguiu cumprir à altura. Tucanos de alta plumagem como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso estão convencidos de que não dá mais para adiar a transição. Ainda na saída das urnas, no domingo passado, FHC tratou de tornar pública sua convicção, dizendo que o momento é de mudança de gerações e que os antigos líderes devem empurrar os novos para a frente. “A renovação é necessária sempre e o Brasil está mostrando isso mais uma vez”, disse, para a irritação profunda do aliado Serra. O candidato derrotado na capital paulista é visceralmente contra a tese. Alega que essa é uma bandeira do PT e empurrou para o atual titular na prefeitura, Gilberto Kassab, parte da culpa por seu mau desempenho eleitoral.

No conjunto do País quase todas as siglas partidárias adotaram a mensagem do novo como força de campanha para a arrecadação de votos e consequente vitória de seus escolhidos. Mesmo o PT, que cravou a maior conquista com a eleição de Fernando Haddad – um novo inclusive na concorrência por postos eletivos –, seguiu essa orientação. Com o iminente fim do julgamento do mensalão, que puniu vários cardeais da velha guarda petista, muitos partidários catequizados por Lula se convenceram de que a renovação é o melhor caminho. A legenda tende a se tornar, cada vez mais, sintonizada com a imagem e linha de conduta política sacramentada pela presidenta Dilma – algo natural, dado que ela vem amealhando índices recorde de popularidade. Parece estar nascendo um PT menos apegado a dogmas e cujo discurso procura incorporar ideias de eficiência e boa técnica administrativa.