Edição nº2488 18.08 Ver edições anteriores

Candidatos a ficha suja

A três meses do fim do mandato dos atuais prefeitos, quase a metade dos municípios tem contas atrasadas com fornecedores

Candidatos a ficha suja

Pic_Conf_2239.jpg

A três meses do fim do mandato dos atuais prefeitos, quase a metade dos municípios tem contas atrasadas com fornecedores. Levantamento inédito da Confederação Nacional dos Municípios indica média de dois meses e meio de atraso nos pagamentos de obras, serviços e até de merenda escolar em 48% das prefeituras. O problema é mais frequente nos partidos que detêm o maior número de prefeituras: PMDB, PSDB, PP e PT. Parte dos prefeitos com problemas de caixa tenta a reeleição. Quem não quitar as contas até o final do mandato, como manda a lei, poderá ficar com a ficha suja, diz o juiz Marlon Reis (foto), um dos idealizadores da lei da ficha limpa.

Privacidade em jogo
O rastreamento de sites visitados por internautas para fins comerciais não está proibido no projeto de lei que define regras para a Internet. Tampouco está liberado para todos os interessados nos lucros pesados com publicidade na rede. A ação dos lobbies marcará o avanço do debate no Congresso depois da eleição. O tema divide o governo.

A pobreza é uma babel
Os números oficiais sobre brasileiros extremamente pobres não batem. O Brasil sem Miséria partiu de 16,2 milhões de pessoas com renda abaixo de R$ 70. Mas outra pesquisa do IBGE aponta quantidade menor. Um seminário de experts tentará pôr fim às divergências em breve.

Páreo futuro
O presidente estadual do PT em São Paulo, Edinho Silva, se movimenta para fazer o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, candidato do partido ao governo de São Paulo em 2014. Dois outros ministros estão no páreo: Aloizio Mercadante (Educação) e Marta Suplicy (Cultura).

Charge

charge.jpg

Pós-mensalão
O presidente da CUT, Vagner Freitas, diz que a central vai esperar o final do julgamento do mensalão para decidir se vai às ruas protestar. A direção da central no Rio divulgou nota na qual diz que o STF “afronta” a Constituição e engavetou processo contra o PSDB mineiro.

Esplanada sustentável
O Ministério do Planejamento comemora a adesão de outras 20 pastas ao pacto para reduzir o consumo de energia, telefone, papel e água no governo. Em quatro meses, a adesão alcança pouco mais da metade da Esplanada. Por ora, não foram definidas metas de redução de gastos.

“Promotor boy”
O promotor eleitoral Francisco Lima contratou dez mototaxistas para tentar barrar a compra de votos nos municípios de São Miguel do Tapuio e Assunção do Piauí. O trabalho consiste em seguir cabos eleitorais suspeitos no dia da eleição e pegá-los em flagrante. As suspeitas são fortes; e a estrutura de fiscalização, pequena, alega o promotor.

Queda de braço
Juízes federais tentaram votar proposta de greve por reajuste salarial maior do que o oferecido pelo governo, de 15,8% em três anos. Só tiveram quórum para aprovar paralisação de dois dias em novembro. Querem 7,2% de reajuste em 2013.

Pós- Fukushima
Quatro novas usinas nucleares planejadas no País antes do acidente no Japão não sairão do papel antes de 2021, mas tampouco foram descartadas pelo governo. No mandato de Dilma Rousseff, está congelado o debate sobre o local de construção das novas usinas. A expectativa era que duas delas fossem instaladas às margens do rio São Francisco. Também segue incerta a localização do depósito mais seguro para rejeitos radioativos, sem o qual Angra 3 não poderá entrar em operação. Novo atraso de seis meses nas obras da usina não chegou a ser registrado no plano lançado pelo Ministério de Minas e Energia.

Lista sob pressão
Em setembro, a maior das empresas já flagradas por exploração de mão de obra foi retirada da “lista suja” do trabalho escravo. A empreiteira MRV obteve liminar na Justiça e está liberada para receber créditos públicos do Minha Casa Minha Vida. O Ministério do Trabalho avalia que não há clima, no momento, para mexer nos critérios de punição das empresas, mas a pressão é forte.

Toma lá dá cá

CONF-02-IE-2239.jpg

DEPUTADO SERGIO GUERRA (PE), PRESIDENTE DO PSDB

ISTOÉ – Aécio Neves viaja com jatinho pago pelo partido, já é campanha para 2014?
Guerra – Hoje, ele é o nome mais credenciado. Mas viaja porque está disponível e isso ajuda na divulgação do partido e do nome dele.

ISTOÉ – O sr. imagina a disputa de 2014 entre PT e PSDB?
Guerra – Não há reserva de mercado para 2014. O eleitorado já mostrou isso.

ISTOÉ – O PSDB investe em aliança com o governador Eduardo Campos?
Guerra – Acho que ele não vai sair candidato. É nosso amigo, mas é aliado do governo.

ISTOÉ – Uma derrota de José Serra em São Paulo representará aposentadoria dele?
Guerra – Não trabalho com essa hipótese.

Rápidas
* A venda de carros no País vai se manter acelerada e crescer a uma média de 4,5% ao ano, prevê a Empresa de Pesquisa Energética. Os carros elétricos deverão entrar no mercado a partir de 2015, mas com participação muito pequena no mercado, dominado pelos flex, até o início da década seguinte.

* Está cada vez mais difícil para Dilma Rousseff esconder sinais de insatisfação com auxiliares. Um deles diz que as expressões da presidenta são como os gigantescos painéis luminosos da Broadway.

* O governador Eduardo Campos (PSB) percorreu mais de 25 mil quilômetros no período eleitoral, contabiliza a assessoria. Visitou cidades de São Paulo, Mato Grosso e três Estados nordestinos, além de Pernambuco.

* O Rio de Janeiro deve ganhar uma Comissão da Verdade depois das eleições, em votação na Assembleia. O presidente da OAB local, Wadih Damous, defende a identificação dos locais de tortura no Estado.

Retrato falado

CONF-03-IE-2239.jpg

A simples menção à existência de um suposto vídeo em que Marcos Valério teria registrado detalhes inéditos do mensalão fez a mulher do publicitário, Renilda Santiago, entrar em pânico no mês passado. Em conversa com a reportagem de ISTOÉ, chorou ao imaginar que o conteúdo das gravações tivesse vazado. Encerrou o telefonema sem dizer se os vídeos existem ou não: “Nada a declarar sobre isso.” O telefone de Renilda deixou de atender a chamadas depois desse dia.

Limpeza no currículo

CONF-04-IE-2239.jpg

A indicação de Jeanine Pires ao cargo de secretária-executiva do Ministério da Cultura coincidiu com a reabertura do processo do Tribunal de Contas da União em que a ex-presidente da Embratur foi condenada a pagar multa pelo recebimento indevido de diárias e passagens. A multa de R$ 3 mil foi aplicada em 2009, por irregularidades registradas quatro anos antes. A pena foi revista na quarta-feira.

24 horas no ar
Três a cada dez crianças e jovens entre 10 e 18 anos não desligam seus celulares nunca, mostra pesquisa da Telefônica. Mais da metade mantém os aparelhos ligados nas salas de aula e quase 20% declararam o hábito de assistir à televisão e navegar na internet ao mesmo tempo.

Colaboraram: Adriana Nicacio e Izabelle Torres.
Fotos: João Castellano/AG. ISTOé; CELSO JUNIOR/AE 


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.