Artes Visuais

Especial ArtRio Fair – Entrevista Brenda Valansi

Diretora da feira de arte do Rio de Janeiro fala sobre expectativa em relação a segunda edição do evento

Especial ArtRio Fair – Entrevista Brenda Valansi

Brenda-Valansi-1.jpg

Entrevista Brenda Valansi- Diretora da Feira ArtRio Fair

Brenda Valansi, ao lado dos sócios Alexandre Accioly, Luiz Calainho e Elisangela Valadares, comanda a ArtRio Fair, feira internacional de arte contemporânea do Rio de Janeiro que teve sua primeira edição realizada em setembro de 2011. Em sua segunda edição, o evento atraiu grandes galerias internacionais, como por exemplo, a galeria Gagosian que participa pela primeira vez de uma feira de arte brasileira. Na edição de 2012, a ArtRio recebeu cerca de R$ 9, 5 milhões em investimentos, terá a participação 120 galerias nacionais e internacionais que reunirão mais de mil artistas no pier Mauá. Ao todo, o evento vai gerar 820 empregos diretos, com expectativas de vendas em torno de 150 milhões de reais. Em entrevista, Brenda Valansi fala sobre o crescimento do mercado de arte impulsionado pelas feiras de arte nacionais e sobre o interesse de galerias internacionais em eventos brasileiros:

Segundo pesquisa realizada pela ABACT/Apex, o volume de negócios das galerias brasileiras de arte contemporânea cresceu em média 44% nos últimos dois anos. Bem acima de outros setores da economia. Qual o papel das feiras brasileiras nesse processo?
As feiras tem um grande papel no aumento do mercado, pois promovem o intercâmbio entre galerias nacionais e internacionais. Além de atraírem um grande número de público que são compradores em potencial. A ArtRio investe bastante na aproximação do público com a arte com o movimento que criamos, onde além da feira, também promovemos palestras, concertos e bastante conteúdo através do portal artirio.art.br

A expansão da programação ArtRio para além dos limites da feira segue algum modelo internacional?
As feiras internacionais promovem visitas a casa de colecionadores e estúdios de artistas. Porém, nenhuma feira que eu conheça tem um movimento que perdura todos os dias do ano.

Houve um crescimento considerável de galerias participantes de 2011 para 2012. A meta é continuar ampliando o espectro? Qual a estratégia para crescer e manter a qualidade?
Estamos no máximo de nossa capacidade com 4 armazéns no pier Mauá. Nosso objetivo não é crescer em número de galerias, mas sim em qualidade de eventos paralelos.